domingo, 12 de abril de 2015

Cinco anos após retornar da Argentina, William comemora: "Fiz a escolha certa"

Pedido da família fez o "Mago" não aceitar proposta de naturalização, voltar ao seu país e se tornar o melhor levantador da história da Superliga Masculina


De Belo Horizonte.
Por João Vitor Cirilo.

12/04/2015 - Nem no melhor dos sonhos o levantador William poderia imaginar o seu momento atual. Tricampeão da Superliga Masculina de Vôlei com o Sada Cruzeiro neste domingo (12), o jogador de 34 anos foi escolhido pela quinta vez consecutiva o melhor da posição, o que representa um recorde. Nenhum outro levantador tem o mesmo número de conquistas individuais na posição – Bruno, hoje na Itália, tem quatro.

William mostra o escudo que defendeu com maestria nos últimos cinco anos.
(Foto: Thomás Santos/Estúdio Treze)

Mas a história poderia ter sido diferente. Há cinco anos, William vivia fase ótima no Bolívar, da Argentina, e tinha proposta para se naturalizar e defender a seleção local. Após quatro anos defendendo o clube do país vizinho, a capacidade técnica – inigualável no voleibol brasileiro atual – o rendeu o apelido de "Mago". Olhando pra trás e percebendo a opção feita naquela época, William tem a certeza de que o caminho adotado foi o melhor possível.

"Hoje posso, mais do que nunca, dizer que eu fiz a escolha certa. Era uma decisão difícil, mas pesou a família, como sempre na minha vida. O Sada acreditou em mim, repatriou e eu dei o meu melhor como sempre fiz ao longo da minha carreira. Na Argentina, foi um bom momento, montamos um time maravilhoso. Achei que nunca mais passaria por isso e, nesses cinco anos aqui, acho que os títulos dobraram. Estou muito feliz", comemora William, que ainda não sabe o que vem pela frente na carreira.



"Não sei, ainda não parei pra pensar, mas o próximo desafio que vier, vou encarar sempre como fiz em todos os outros, dando o meu melhor, levando à equipe ao lugar mais alto do pódio. Estarei lá de corpo e alma", garante o maestro celeste, que retornou ao Brasil para a temporada 2010/2011 e esteve nos times do Sada campeões nacionais em 2011/2012 e 2013/2014, além deste de 2014/2015. Além disso, um título Mundial em 2012, o bicampeonato Sul-Americano e o título da Copa Brasil, além do pentacampeonato estadual e outros títulos. Em 20 torneios, 18 finais e 15 títulos.

Com a filha e o quinto título individual.
(Foto: Thomás Santos/Estúdio Treze)

Além de uma realização pessoal, William também cumpre uma promessa feita ao seu pai, quando começou a jogar. "Ele me disse que se era o que eu queria jogar vôlei e viver do esporte, eu teria que ser o melhor. Acho que nesses últimos anos tenho cumprido essa promessa. É uma marca que eu jamais imaginava e é difícil em um país onde talvez os principais jogadores são os levantadores. Estar figurando entre os melhores já é meritoso", comemorou, emocionado, o jogador após a eliminação contra o Minas Tênis Clube, no último dia 30.

"Talvez esse prêmio seja mais uma vez uma missão cumprida. Me emociono porque é difícil e eu sempre trabalhei para estar entre os melhores. Não sou um levantador tão alto (1,86m), muitos questionam, não acreditam, então pra mim talvez seja mais difícil. Sei que trabalho honestamente todos os dias, nunca pisei na cabeça de ninguém, sempre soube esperar o meu momento e sabia que com um trabalho bem feito e honesto eu chegaria lá. E estou aqui hoje", completou William naquela oportunidade.

Permanecendo na equipe cruzeirense, William tem uma certeza: "Sem dúvida, o Cruzeiro vai montar um bom time e vai lutar mais uma vez", opina o Mago. A sorte será do Sada Cruzeiro.

0 comentários :

Postar um comentário