sábado, 9 de agosto de 2014

Empate polêmico

Com a arbitragem questionada, Cruzeiro joga mal e fica apenas no empate com o Criciúma

De Belo Horizonte.
Por Júlia Alves.

09/08/2014 - Em um jogo ruim no Heriberto Hülse, Criciúma e Cruzeiro não saíram do 0 a 0 na noite deste sábado, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro. A equipe da casa jogou fechada, com a marcação compacta e forte e conseguiu segurar o líder da competição. A Raposa, por sua vez, teve uma atuação muito abaixo do que pode apresentar e ainda foi prejudicada com os erros da arbitragem, que anulou dois gols de forma equivocada. O meio de campo do time mineiro, que é tão acostumado a fazer grandes jogadas, mostrou-se sem criatividade e pouco objetivo na partida. Esse foi o segundo empate seguido das duas equipes. O Cruzeiro segue na liderança com 30 pontos e quatro de vantagem para o vice-líder Fluminense, mas pode ver sua vantagem diminuir em relação aos adversários ainda nesta rodada. O Criciúma chega aos 16 pontos e sobe para a 12ª colocação, sendo que pode perder posições no final da rodada.

Na próxima rodada, o Cruzeiro recebe o Santos, no Mineirão, às 18h30 (de Brasília) do sábado (16). No domingo (17), o Criciúma encara o Grêmio, às 16h, na Arena do Grêmio.

Ricardo Goulart tenta passar pela marcação de Fábio Ferreira.
(Foto: Maurício Vieira/Light Press/Site Oficial do Cruzeiro)

O jogo

A partida começou com muitas faltas e pouco futebol. O Cruzeiro não mostrou velocidade na construção das jogadas, cometeu muitos erros de passe e, por isso, ficou preso na forte marcação adversária. O meio de campo celeste estava muito escondido e produziu pouco. O Criciúma, defendendo em bloco, diminuiu os espaços, jogou explorando os contra-ataques e chegou a ameaçar.

O time da casa teve a primeira chance de abrir o placar. Aos oito minutos, a defesa do cruzeirense cortou mal, Serginho lançou, nas costas de Dedé, e Gustavo bateu cruzado, acertando as redes pelo lado de fora. A Raposa chegou a marcar aos 18 minutos após cruzamento de Nilton. Ricardo Goulart tocou para Marquinhos que mandou para dentro. No entanto, o árbitro anulou o gol de maneira equivocada, assinalando uma falta de Goulart em Fábio Ferreira.  

O Cruzeiro continuava tentando, porém, a bola não chegava com qualidade para os homens de frente. Nas poucas oportunidades que o ataque celeste teve, faltou pontaria ou o goleiro do Tigre apareceu bem para proteger sua meta. Aos 20 minutos, Marquinhos recebeu de frente para o gol e bateu colocado, mas a bola passou por cima do travessão. Mayke cruzou para a área, aos 25 minutos, Marcelo Moreno não dominou e a bola sobrou para Ricardo Goulart, que chutou e Luiz defendeu. No rebote, Goulart teve uma segunda chance e o goleiro salvou novamente. Aos 41 minutos, Éverton Ribeiro cruzou na segunda trave, Moreno subiu sozinho e cabeceou para fora.

A pressão cruzeirense continuou na segunda etapa. Com menos de dois minutos, Ricardo Goulart cruzou, Marquinhos dividiu com o goleiro, que chegou atrasado, e por pouco deixou o atacante em condições de marcar. Mesmo oferecendo mais perigo que o adversário, o Cruzeiro estava sem criatividade e dependente de chutões e bolas alçadas na área. O Criciúma marcava sob pressão a saída de bola e os zagueiros da Raposa não tinham com quem jogar. O ataque continuava errando muitos passes e sem objetividade.

Assim como a equipe celeste não mostrava uma boa atuação, a arbitragem da partida deixou a desejar. Após anular um gol legal no primeiro tempo, o bandeirinha marcou um impedimento inexistente e invalidou outro gol do Cruzeiro. Aos 16 minutos, Éverton Ribeiro driblou Serginho e bateu colocado. A bola explodiu no travessão e, na sobra, Marcelo Moreno bateu cruzado e Willian chegou mandando para as redes. O assistente entendeu que Moreno estava à frente.

Enquanto a torcida cruzeirense reclamava nas arquibancadas do lance anterior, o Criciúma quase abriu o placar. Após cruzamento na área, Dedé desviou nos pés de Serginho, que chutou para a defesa de Fábio. A bola sobrou para João Vítor bater e a defesa cortou, desta vez com sucesso. O Tigre aparentava estar cansado e, entendendo que o empate em casa com o líder era um bom resultado, recuou todo para aumentar ainda mais a marcação. O técnico Marcelo Oliveira, vendo a postura do adversário, tirou o volante Lucas Silva e colocou o atacante Willian. A formação mais ofensiva aumentou o volume de jogo, entretanto, o Cruzeiro continuava sem finalizar com qualidade e, assim, o jogo terminou sem gritos de gols no Heriberto Hülse.

Ficha de jogo:

Criciúma 0 x 0 Cruzeiro

CRICIÚMA:
Luiz; Eduardo, Gualberto, Fábio Ferreira e Giovanni; Serginho, Martinez, João Vitor e Paulo Baier (Lucca); Silvinho (Ricardinho) e Gustavo (Danilo Alves).
Técnico: Wagner Lopes

CRUZEIRO:
Fábio; Mayke, Dedé, Léo e Egídio; Nilton e Lucas Silva (Dagoberto); Éverton Ribeiro, Ricardo Goulart e Marquinhos (Willian); Marcelo Moreno (Alisson).
Técnico: Marcelo Oliveira

Local: Estádio Heriberto Hülse, em Criciúma (SC)
Público: 9.646 presentes
Renda: R$ 136.390
Data: 09/08/2014
Horário: 18h30 (de Brasília)

Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA)
Assistentes: Alessandro Rocha de Matos (BA) e Luiz Carlos Silva Teixeira (BA)

Cartões amarelos: Martinez, Lucca (Criciúma); Leo (Cruzeiro)

***



14ª rodada - Brasileirão: 
Sábado (9/8), às 18h30: 
Criciúma 0x0 Cruzeiro 
Bahia 1x0 Goiás 
21h: 
Fluminense 1x1 Goiás 
Domingo (10/8), às 16h: 
Santos x Corinthians 
Internacional x Grêmio 
Atlético-PR x Botafogo 
Flamengo x Sport 
18h30: 
São Paulo x Vitória
Chapecoense x Figueirense
Atlético-MG x Palmeiras

Classificação: 
1º - Cruzeiro - 30 pontos (14 jogos) 
2º - Fluminense - 26 pontos (14 jogos)
3º - Internacional - 25 pontos (13 jogos)
4º - Corinthians - 24 pontos (13 jogos)
5º - Sport - 21 pontos (13 jogos)
6º - Santos - 20 pontos, 5 vitórias e 8 gols de saldo (13 jogos)
7º - São Paulo - 20 pontos, 5 vitórias e 4 gols de saldo (13 jogos)
8º - Goiás - 20 pontos, 5 vitórias e -2 gols de saldo (14 jogos)
9º - Atlético-MG - 19 pontos, 5 vitórias e 3 gols de saldo (13 jogos)
10º - Atlético-PR - 19 pontos, 5 vitórias, 1 gol de saldo e 20 gols pró (13 jogos)
11º - Grêmio - 19 pontos, 5 vitórias, 1 gol de saldo e 11 gols pró (13 jogos)
12º - Criciúma - 16 pontos (14 jogos)
13º - Chapecoense - 15 pontos (13 jogos)
14º - Palmeiras - 14 pontos e 4 vitórias (13 jogos)
15º - Vitória - 14 pontos e 3 vitórias (13 jogos)
16º - Botafogo - 13 pontos, 3 vitórias e 0 gol de saldo (13 jogos)
17º - Bahia - 13 pontos, 3 vitórias e -5 gols de saldo (14 jogos)
18º - Coritiba - 12 pontos (14 jogos)
19º - Figueirense - 10 pontos e 3 vitórias (13 jogos)
20º - Flamengo - 10 pontos e 2 vitórias (13 jogos)

0 comentários :

Postar um comentário