domingo, 27 de julho de 2014

Que corrida!

Com duas ultrapassagens no fim, Ricciardo vence na Hungria; Hamilton faz grande corrida, sai dos boxes e termina em 3º

De Belo Horizonte.
Por João Vitor Cirilo.

27/07/2014 - Grande corrida neste domingo na Hungria. A 11ª etapa da temporada da Fórmula 1 teve pista molhada, batidas, piloto largando dos boxes e ultrapassagens no fim. Nessa última questão, quem se deu bem foi Daniel Ricciardo, da RBR, que deixou pra trás a Ferrari de Fernando Alonso e a Mercedes de Lewis Hamilton nas três últimas voltas e venceu pela segunda vez no ano. Falando em Hamilton, o inglês fez corrida espetacular largando dos boxes, ganhou 19 posições e terminou em terceiro, logo atrás de Fernando Alonso, que levou uma Ferrari ao pódio e conseguiu o que poucos pilotos conseguiriam com esse carro. Rosberg, Massa, Raikkonen, Vettel, Bottas, Vergne e Button completaram os 10 primeiros lugares.

Ricciardo comemora com Alonso e Hamilton. Foi a segunda vitória do australiano na temporada.
(Foto: Dimitar Dilkoff/AFP)

Com exceção de Rosberg e Hamilton, pilotos da Mercedes, Dani Ricciardo é o único piloto a vencer na temporada. O australiano foi o primeiro também no Canadá. Por isso, ele é o terceiro colocado do Mundial de Pilotos, com 131 pontos, contra 191 do vice-líder Lewis Hamilton e 202 do líder Nico Rosberg. Fernando Alonso é o quarto colocado, com 115.

A temporada da F1 tira férias e retorna apenas no dia 24 de agosto, com o tradicional GP da Bélgica, em Spa-Francorchamps.

A corrida

A chuva caiu no fim de semana em Mogyorod, na Hungria. Na hora exata da corrida, não choveu, mas a pista ainda estava molhada, principalmente na reta dos boxes. Esperando por mais chuva, a maioria não arriscou: foi de pneus intermediários. Lewis Hamilton, que sequer conseguiu completar volta no treino de classificação do sábado, largou dos boxes. A situação não era boa para o inglês. E ficaria pior ainda logo no início da prova, quando ele perdeu o controle do carro e rodou. Por muita sorte, só tocou com a roda esquerda no muro e danificou levemente a asa esquerda. Ainda veríamos uma grande recuperação de Lewis, que começou a voar.

Nas primeiras sete voltas, Rosberg ia abrindo folga. Porém, aí entraram fatos novos. Na nona volta, Ericsson bateu forte no muro com sua Caterham e o Safety Car foi para a pista. Na volta 11, Grosjean, da Lotus, também bateu e deu adeus à prova, assim como Pérez, da Force India, na volta 23, obrigando o Carro de Segurança a permanecer na pista por um bom tempo. Muita gente aproveitou para ir aos boxes e trocar os pneus. A maioria passou para pneus de pista seca e várias mudanças na classificação aconteceram. Ricciardo assumiu a liderança na décima volta, seguido por Button e Massa.

Voo do inglês - Pouco antes disso, na oitava volta, Hamilton aparecia em 13º. Já volta 15, o inglês já era nono colocado e seguia engolindo os adversários. Na 18ª volta, Rosberg era o quinto colocado e Hamilton, o sétimo. Isso antes de Pérez bater e o Safety Car voltar a aparecer.

Escapada de Hamilton não complicou o inglês, que fez grande prova.
(Foto: Attila Kisbenedek/AFP)

Com Ricciardo e Massa nos boxes, Alonso assumiu a ponta na volta 24 e quando o Safety Car saiu duas voltas depois, Vergne era o vice-líder. Entre os 12 primeiros, Massa era o único de pneus médios na volta 30 e tentaria ir assim até o final. Não foi, pois a Williams o mandou para outra troca de pneus que acabou o prejudicando poucas voltas depois. Falando em parar, Rosberg foi para os boxes na volta 34, quando Hamilton ultrapassou Vergne e assumiu o segundo lugar, 20 posições acima da que largou. Ele iria para os boxes cinco voltas depois e retornaria em quinto, à frente de Rosberg. Ricciardo e Massa eram os primeiros de novo.

Próximo à volta 45, o rádio da equipe de Rosberg e Hamilton começava a pipocar. O alemão reclamava que o inglês não o deixava passar, já que, na teoria, Rosberg teria que fazer uma parada. Nada de jogo de equipe, e Hamilton provaria estar certo. Rosberg parou na volta 57 e retornou em sétimo, atrás de Raikkonen, Massa e Bottas. A briga entre o quarto e o sétimo lugar era forte. Na volta 60, Raikkonen perdeu posição para Rosberg e partiu para o ataque a Massa, conseguindo a ultrapassagem na volta seguinte.

Atenções voltadas para os três primeiros, que já não tinham diferença entre eles. Alonso, com pneus mais desgastados, tentava segurar Hamilton, e Ricciardo assistia logo atrás. A diferença entre os três não superava três décimos. Ricciardo tentou duas vezes e, na volta 67, conseguiu ultrapassar Hamilton e foi pra cima de Alonso, deixando o espanhol para trás no fim da reta principal. O piloto da Ferrari ainda conseguiu segurar Hamilton, mas a corrida foi mesmo de Ricciardo.

Classificação final do GP da Hungria (clique para ampliar):

Classificação do Mundial de Pilotos (clique para ampliar): 

Classificação do Mundial de Construtores (clique para ampliar): 
Fotos: f1.com

0 comentários :

Postar um comentário