sábado, 5 de julho de 2014

Mais um passo pelo tri

Com gol solitário de Higuaín, Argentina vence Bélgica e volta à semi da Copa após 24 anos

De Belo Horizonte.
Por Bruno Santana.

05/07/2014 - Mais uma partida terminada e alguns amantes do futebol já rezam para um Brasil vs. Argentina na final. No início da tarde deste sábado (5), Argentina e Bélgica se enfrentaram em Brasília pelas quartas de final da Copa do Mundo de 2014. Os argentinos venceram por 1 a 0 e, depois de 24 anos, estão de volta a uma semifinal do Mundial. O único gol da partida foi marcado por Gonzalo Higuain, escolhido o melhor em campo pela FIFA. 

O adversário dos hermanos sairá do duelo entre Holanda e Costa Rica, também neste sábado, às 17h (de Brasília), na Arena Fonte Nova, em Salvador. Já a semi será na quarta-feira (9), às 17 horas, em São Paulo. A outra semifinal será disputada na terça-feira (8), em Belo Horizonte, entre Brasil e Alemanha.


Higuaín chuta para marcar o único gol da partida.
(Foto: Getty Images)

O jogo

A Argentina teve o domínio do primeiro tempo inteiro em todos os quesitos: posse de bola, ocupação do meio de campo e perigo de gols. Em um começo de jogo pegado, logo de cara, um gol. Aos sete minutos, Di Maria teve um passe desviado e a bola sobrou para Gonzalo Higuain que, de fora da área, chutou de primeira, acertando o canto direito de Courtois: 1 a 0. Precisando do resultado, os belgas respeitaram um pouco a bicampeã mundial, que trocava passes e esperava uma chance de contra-ataque com Higuain, Messi, Lavezzi e Di Maria. A primeira chance dos europeus veio aos 25 minutos, em um chute fora da área de De Bruyne, que obrigou Romero a trabalhar pela primeira vez.

Aos 27 minutos, Messi acionou Di Maria, que ajeitou para o chute de fora da área. Kompany realizou o corte na hora do arremate e o camisa 7 argentino começou a sentir uma fisgada muscular na coxa direita. Cinco minutos mais tarde, o jogador do Real Madrid foi substituído por Enzo Pérez. Aos 38, Messi fez fila próximo à grande área e foi derrubado na meia-lua. Na cobrança, o camisa 10 bateu no lado de Courtois; a bola passou por cima, e o goleiro, pego no contra-pé, já estava batido.

No segundo tempo, os argentinos continuaram esperando um contra-ataque para matar a partida e os belgas estavam preocupados com isso. Se lançavam ao ataque com cuidado com medo de dar uma oportunidade fatal ao adversário. A Argentina chegou com perigo aos cinco minutos, quando Higuaín chegou pela esquerda e cruzou da linha de fundo; Van Buyten cortou de mal jeito e quase marcou contra. Aos nove minutos, Higuaín quase marcou um golaço. O melhor em campo partiu em velocidade, deu uma bela caneta em Kompany e chutou no travessão de Courtois.

Daí pra frente, os espaços no meio de campo sobraram para os belgas, mas faltava capricho no passe. Aos 19 minutos, De Bruyne chegou pela direita, na linha de fundo, e cruzou rasteiro para a área; Garay cortou estranho e a bola foi em direção ao gol, mas Romero evitou o empate. O técnico Marc Wilmots realizou algumas mudanças para tentar lançar seu time para frente, mas elas não deram muito certo. Mirallas e Origi deram lugar para Merthens e Lukaku. Mais tarde, Hazard, que pouco produziu na partida, saiu para a entrada de Chadli.

Os belgas continuavam tentando atacar, mas sem criar perigo. Longe daquele time realizou uma blitz contra os Estados Unidos nas oitavas de final, criando inúmeras chances. Aos 39 minutos, Fellaini desviou de cabeça para Lukaku, que rolou para trás; De Bruyne chegou emendando o chute, a bola desviou na marcação e saiu pela linha de fundo com perigo.

Com cinco minutos de acréscimo, os europeus seguiam lutando, mas não conseguiam criar uma chance. Aos 48 minutos, Messi ficou livre na cara de Courtois, que conseguiu crescer como um gigante pra cima do camisa 10 e defendeu o chute do argentino, que nunca conseguiu fazer gol no goleiro do Atlético de Madrid jogando pela Argentina e pelo Barcelona. Na última chance da partida, a Bélgica criou sua melhor oportunidade. Lukaku recebeu na área, tentou o toque para o meio e Garay esticou a perna para cortar o lance. Na sobra, Witsel emendou um chute do fora da área, mas chutou por cima do gol argentino.

Muito pouco os belgas fizeram durante toda a partida. Em momento nenhum os europeus fizeram o goleiro Romero trabalhar de verdade em 90 minutos, a não ser em corte de bola do companheiro de time Garay A Argentina está de volta entre os quatro melhores da Terra depois de 24 anos.

Ficha do jogo:

Argentina 1x0 Bélgica

ARGENTINA: 
Romero; Zabaleta, Demichelis, Garay e José Basanta; Mascherano, Lucas Biglia e Messi; Lavezzi (Palacio), Di María (Enzo Peres) e Higuaín (Gago).
Técnico: Alejandro Sabella

BÉLGICA: 
Courtois; Alderweireld, Van Buyten, Kompany e Vertonghen; Witsel, Fellaini, Mirallas (Mertens), De Bruyne e Hazard (Chadli); Origi (Lukaku).
Técnico: Marc Wilmots

Local: Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF)
Público: 68.551
Data: 05/07/2014
Horário: 13h (de Brasília)

Gol: Higuaín, aos 8 minutos do primeiro tempo

Árbitro: Nicola Rizzoli (ITA)
Assistentes: Renato Faverani e Andrea Stefani (ambos da Itália)

Cartões amarelos: Biglia (Argentina). Hazard, Alderweireld (Bélgica)

0 comentários :

Postar um comentário