quarta-feira, 23 de julho de 2014

Iluminado

Em casa, San Lorenzo atropela Bolívar e coloca um pé na final da Libertadores

De Belo Horizonte.
Por Júlia Alves.

23/07/2014 - O time do Papa Francisco fez mais uma vítima nessa Taça Libertadores, desta vez de forma contundente. Sem tomar conhecimento do adversário, o San Lorenzo venceu o Bolívar por 5 a 0 na primeira partida da semifinal da Taça Libertadores e já está com um pé na grande decisão. A torcida argentina fez sua parte: lotou o Nuevo Gasómetro, fazendo de seu estádio um verdadeiro caldeirão. Em campo, o Ciclón retribuiu o apoio das arquibancadas e deu show. A bola parada foi um terror para a defesa boliviana, que viu os argentinos mandarem em todo o jogo e fazer três gols em jogada aérea. Agora, o Bolívar tem uma tarefa quase impossível: reverter o resultado para chegar à final.

Com a goleada na primeira partida, o San Lorenzo pode até perder por quatro gols de diferença que avançará para a final. O Bolívar precisará de um verdadeiro milagre para vencer os argentinos por uma vantagem de seis gols. O jogo de volta será na próxima quarta-feira (30), às 21h15, no Hernando Siles, em La Paz. A outra série, disputada entre Nacional do Paraguai e Defensor do Uruguai tem vantagem paraguaia. No primeiro jogo, 2 a 0 para o Nacional.

Mauro Matos comemora o primeiro gol do jogo.
(Foto: Site oficial da Conmebol)

O jogo                                           

A partida começou eletrizante. No embalo de sua torcida que fazia festa nas arquibancadas, o San Lorenzo partiu para cima do adversário desde o primeiro minuto. O Bolívar sentiu o clima e, tentando parar os argentinos de forma desesperada, cometia muitas faltas. Na cobrança de uma delas saiu o primeiro gol. Logo aos cinco minutos, Romagnoli levantou a bola na área e Matos mandou para o fundo das redes.

Muito tenso, o Bolívar não conseguia sair de seu campo de defesa. O time argentino reduzia muito bem os espaços, obrigando os bolivianos a optarem pela ligação direta, que não funcionava. Com o jogo sob controle, o San Lorenzo trabalhava a bola com tranquilidade, irritando o adversário, que persistia em parar as jogadas com faltas. Dessa maneira, em um replay do lance que resultou no primeiro gol, o Ciclón ampliou o marcador. Aos 27 minutos, Romagnoli cobrou falta, desta vez, na cabeça do lateral Más.

Com o placar a seu favor, a equipe do Papa Francisco diminuiu o ritmo no segundo tempo e passou a chamar o adversário para seu campo, em busca de mais espaço para matar a partida. Mesmo com uma postura mais ofensiva, o Bolívar não ofereceria perigo ao seu oponente. A equipe boliviana não conseguia efetuar a transição entre a defesa e o ataque e, ficando presa aos chutões, acabava perdendo a posse de bola.

Em um lance de ligação direta do Bolívar, o San Lorenzo ficou com a bola e balançou as redes pela terceira vez. Aos 24 minutos, Mercier avançou pelo meio e acabou tabelando com a defesa adversária, para ficar de cara para o gol e chutar cruzado no canto direito de Quiñonez. Três minutos depois, a torcida argentina voltou a comemorar. Em nova saída equivocada boliviana, Buffarini roubou a bola e soltou o pé da entrada da área para fazer um golaço.

Sem reação, o Bolívar via o San Lorenzo trocar passes no ataque. E se engana quem pensou que os argentinos não queriam mais jogo. Sob gritos de olé, o Ciclón continuou partindo para cima e conseguiu o quinto tento, novamente em jogada aérea, decretando a goleada da noite. Aos 41 minutos, Barrientos cobrou na cabeça de Más, que mandou para as redes pela segunda vez no jogo.

Ficha de jogo:

San Lorenzo 5x0 Bolívar

SAN LORENZO:
Sebastián Torrico; Julio Buffarini, Mauro Cetto, Santiago Gentiletti e Emanuel Más; Héctor Villalba (Gonzalo Verón), Néstor Ortigoza, Juan Mercier, Ignacio Piatti e Leandro Romagnoli (Cauteruccio); Mauro Matos (Barrientos).
Técnico: Edgardo Bauza

BOLÍVAR:
Romel Quiñónez; Gerardo Yecerotte, Ronald Eguino, Nelson Cabrera Baez, Sánchez Capdevilla e Gutierrez Herrera; Damir Miranda (José Luis Chávez), Walter Flores e Juan Callejón (Saavedra); Óscar Rodas (Carlos Tenorio) e Juan Carlos Arce.
Técnico: Xabier Azkargorta

Local: Estádio Nuevo Gasometro, em Buenos Aires (Argentina)
Data: 23/07/2014
Horário: 19h45 (de Brasília)

Gols: Mauro Matos, aos cinco minutos, Emanuel Más, aos 27 minutos do primeiro tempo e aos 41 minutos do segundo tempo, Mercier, aos 24 minutos do segundo tempo, e Buffarini, aos 28 minutos do segundo tempo (San Lorenzo).

Árbitro: José Buitrago (Colômbia)
Assistentes: Wilmar Navarro (Colômbia) e Alexander Guzmán (Colômbia)

Cartões amarelos: Ortigoza, Buffarini (San Lorenzo); Yecerotte, Callejón, Luis Gutiérrez (Bolívar)


0 comentários :

Postar um comentário