segunda-feira, 28 de julho de 2014

Coluna: Mais uma daquelas

CBF decidiu matar o futebol brasileiro, que já está agonizando, mas não pensei que seria tão cruel assim

De São Paulo.
Por Eduardo do Carmo.

28/07/2014 - Escândalos envolvendo a principal competição nacional, derrota humilhante na Copa do Mundo, na própria casa, estádios com poucos torcedores. Esses são alguns dos atuais acontecimentos acerca do futebol brasileiro. Uma sucessão de erros e episódios inacreditáveis mancham o principal esporte do país. Nada disso é apenas coincidência ou acidente. Tudo isso é o reflexo do amadorismo e da maneira em que o futebol canarinho está sendo levado por grandes entidades, inclusive a principal delas: a Confederação Brasileira de Futebol, a famosa CBF, que decidiu exterminar o futebol de uma das maiores nações do mundo. Só não esperava tamanha crueldade por parte daquela que deveria manter de forma brilhante um dos maiores patrimônios do Brasil.


Logo após o 7 a 1 da Alemanha, os torcedores esperavam uma mudança e renovação total. Era óbvio que tal fato não ocorreria. Bastaria voltar um pouco no tempo e lembrar da ''troca de cadeiras'' nas eleições da CBF ainda antes do Mundial. O candidato único, Marco Polo Del Nero, até então vice, foi eleito presidente, com o seu novo vice José Maria Marin, que até então é o presidente. Parece até roteiro de um filme de comédia. Mas nessa história, não há graça alguma. As risadas dão lugar ao desespero.

E parafraseando uma das leis de Murphy - nada é tão ruim que não possa piorar -, mais uma daquelas aconteceu. Os personagens são outros, mas o STJD, que por muitas vezes ganha papel de destaque, está lá. E claro, um desacerto da querida CBF. Na Copa Verde, o Brasília venceu o Paysandu na decisão e conquistou vaga para a Sul-Americana 2015. Quatro atletas, porém, não estavam registrados no Boletim Informativo Diário (BID). Por conta disso, a equipe do Centro-Oeste perdeu o título e a classificação para o torneio continental. Ainda cabe recurso e, com isso, uma nova novela negativa tomará conta das páginas de esporte do país inteiro nas próximas semanas. Detalhe, a própria Confederação Brasileira de Futebol não inscreveu os jogadores por conta de um erro no sistema de informática da entidade.

Mais um erro grotesco e inacreditável. Algo lamentável. É impossível aceitar uma incorreção desse nível no século 21, na era da internet. Assim, o futebol brasileiro segue agonizando, à espera de um milagre para a sobrevivência. E se a esperança é a última que morre, o jeito é se apegar nela e acreditar que ainda há solução.

Confira mais colunas na página do "A bola está comigo".

0 comentários :

Postar um comentário