segunda-feira, 7 de julho de 2014

B.A. na Copa #45: Brincando com os números

De Belo Horizonte.
Por Bruno Santana.

07/07/2014 - Quem nunca brincou com os números no esporte? E temos alguns interessantes nesta reta final da Copa do Mundo. Chegando nesta fase semifinal, aberta amanhã com o duelo entre Brasil e Alemanha no Mineirão, temos 10 títulos mundiais em jogo. O Brasil com cinco, a Alemanha com três, a Argentina com dois e a Holanda zerada, mas acumulando três finais de Copa e ainda na busca incessante pela sua primeira estrela no peito.



OS NÚMEROS

Teremos duas reedições de finais de Copa do Mundo nas semifinais. Brasil e Alemanha repetirão 2002 e Argentina e Holanda repetirão 1978. Se os brasileiros avançarem, com certeza teremos uma final inédita na competição. Os holandeses e argentinos nunca encontraram os canarinhos em uma decisão. Se a Alemanha passar, podemos ter duas reedições de final na história das Copas. A Holanda poderá ter uma revanche contra os alemães 40 anos depois da decisão de 1974. Já a Argentina poderá ter sua terceira final contra a Alemanha repetindo as edições de 1986 (quando os hermanos foram campeões) e 1990 (quando os germânicos foram campeões).

Se os alemães encontrarem os holandeses na decisão, terão a oportunidade de se sagrarem campeões vencendo todos os países que os derrotaram em finais de Copa em uma única edição: Alemanha, Argentina e Espanha. Seria uma doce vingança para a laranja. 

Brasil e Alemanha disputam, além da vaga para a grande decisão da Copa, um recorde. As duas seleções têm o maior número de participações em finais do Mundial: sete cada uma. Quem avançar terá pela frente a oitava decisão na história de 20 Copas do Mundo e, assim, o recorde em participações.

24 ANOS DEPOIS... 

A Copa do Mundo, até agora, possui um fato matemático curioso envolvendo os 24 anos. Em 1970, Brasil e Itália decidiram a Copa do Mundo e os brasileiros se sagraram tricampeões mundiais. Depois de 24 anos passados e cinco Copas disputadas, com fracassos colecionados pelos brasileiros, os canarinhos se sagraram tetracampeões em 1994, curiosamente em cima dos italianos novamente. Em 1982, a Itália derrotou a Alemanha na final e se sagrou tricampeã mundial. Em 2006, 24 anos depois, o tetracampeonato veio em cima dos franceses. Em 2014, faz 24 anos que os alemães se tornaram tricampeões mundiais em cima da Argentina. Curiosamente, há 24 anos os sul-americanos não chegam a uma semifinal e os alemães estão cotados como favoritos para a conquista desta competição.

Ronaldo marca para o Brasil contra a Alemanha de Kahn na final de 2002.
(Foto: Arquivo/Terceiro Tempo)

NA CAMISA

É certo que a camisa pesa em algumas competições. Vimos vários times que não eram geniais mas que chegaram longe muito por sua tradição. Será que a seleção brasileira de 1994 era tão genial quanto as equipes que ganharam os três primeiros títulos com a camisa amarela? Isso nos remete aos dias de hoje. Temos uma equipe que em alguns jogos não foram bem, principalmente no meio de campo, mas mesmo assim está na semifinal da competição.

ALEMANHA

Também temos o peso de uma Alemanha que em 13 ocasiões em 20 Copas do Mundo chegou à fase semifinal, sendo esta a terceira seguida. Os alemães têm duas participações a menos que o Brasil, que jogou todas as edições, e têm um jogo a mais que os brasileiros. São 103 contra 102 partidas disputadas na competição. Isso mostra a eficiência dos alemães em chegar nos momentos decisivos da Copa.


Argentina x Alemanha. 1986 e 1990.
(Fotos: Reprodução)

ARGENTINA

A Argentina busca uma nova chance de decidir uma final de Copa do Mundo depois de 24 anos. Mesmo com bons times formados, os hermanos não conseguiam disputar uma semifinal desde 1990, quando eliminaram o Brasil e fizeram a decisão contra a Alemanha, sofrendo o revés no final que resultou no tricampeonato mundial dos alemães. É o sonho de todas as seleções do planeta ganhar uma Copa do Mundo, mas para os argentinos, esta é especial. Ganhar uma Copa no Brasil, seu maior rival, e em uma possível final contra os brasileiros, seria algo épico para os amantes da equipe alviceleste. Essa é a quarta semifinal dos argentinos e, curiosamente, em todas as ocasiões eles avançaram para a grande decisão.


HOLANDA

Estamos falando da mais "injustiçada" seleção em toda a história. A Holanda tem três finais na competição (contra Alemanha, 1974, Argentina, 1978, e Espanha, 2010) e perdeu as três oportunidades. A Holanda é a única entre as consideradas "gigantes" que ainda não tem um caneco. A grande marca da seleção laranja foi o triste e encantador vice-campeonato de 74, diante os alemães. Naquela oportunidade, a equipe treinada por Rinus Michels revolucionou o futebol mundial com o famoso "Futebol Total", ficando conhecida como "Carrossel Holandês" ou "Laranja Mecânica". 

Foto: Reprodução

O time, que contava com o fabuloso Cruyff como referência dentro das quatro linhas, ficou marcado como a seleção que não tinha posição fixa. Os jogadores trocavam posições, envolviam seus adversários nas trocas de passes e tinham alto índice em desarmes e roubadas de bola pela eficiente marcação pressão que faziam durante a partida. Somente a Alemanha Ocidental, do lendário zagueiro Franz Beckenbauer, conseguiu vencê-los e levar o bicampeonato mundial na ocasião.

0 comentários :

Postar um comentário