domingo, 29 de junho de 2014

Salve, Navas!

Costa Rica sai na frente, sofre empate com um a menos, mas nos pênaltis, conquista histórica classificação para as quartas da Copa

De Nova Lima (MG).
Por Rodolpho Victor.

29/06/2014 - Se a Grécia já foi zebra e hoje conquistou um certo respeito no cenário do futebol, a Costa Rica é totalmente o oposto. Num grupo D com três campeões mundiais (Uruguai, Itália e Inglaterra), os costarriquenhos foram os melhores. Já os gregos saíram de uma chave com quatro times medianos (Colômbia, Japão e Costa do Marfim), desbancando a seleção de Drogba na última rodada. Foi nesse cenário que Grécia e Costa Rica entraram em campo na Arena Pernambuco neste domingo. Com pouca técnica, sobrou vontade. A Costa Rica, apontada como favorita, fez 1 a 0, mas teve Duarte expulso. A Grécia pressionou e empatou em 1 a 1 no tempo normal, não conseguindo marcar mais um no tempo extra. Nos pênaltis, o goleiro Navas, escolhido o melhor em campo, pegou uma cobrança e a sensação da Copa venceu por 5 a 3, fazendo história no país do futebol. 

No próximo sábado (5), às 17h (de Brasília), a Costa Rica vai a Salvador enfrentar a Holanda em sua primeira participação na fase quartas de final em uma Copa do Mundo. Os holandeses eliminaram o México também nesta tarde com uma vitória de virada, por 2 a 1, com dois gols após os 40 minutos do segundo tempo.



Navas voa para defender cobrança de Gekas.
(Foto: Getty Images)

O jogo

Além de estar em minoria no estádio, os gregos tiveram o azar de ver os brasileiros presentes “adotando” a sensação da Copa. Mas foi a seleção grega que começou pressionando. Christodoulopoulos bateu pra fora no primeiro lance do jogo, depois de pegar rebote. Enquanto os Ticos tabelavam e tentavam abrir a marcação grega, seus adversários insistiam pela ligação direta, buscando o atacante Samaras. As poucas chances da primeira etapa eram chutes pra fora dos gregos. A Costa Rica fazia duas linhas, uma com cinco e outra com quatro jogadores, e ficava no campo de defesa.

Aos 37 minutos, Salpingidis recebeu cruzamento e chutou para grande defesa de Navas. E foi assim, com passes errados, retranca, muitos impedimentos, falta de técnica e faltas que terminou o monótono e sonolento primeiro tempo.

Samaras cabeceou pro gol e deu início ao segundo tempo. Mas novamente a torcida odiou o futebol apresentado e começou a vaiar. Até que, aos seis minutos do segundo tempo, Bryan Ruiz recebeu na entrada da área, não pegou do jeito desejado na bola, mas ela acabou ganhando algum efeito e foi entrando devagar. Logo depois do gol, Bolaños também teve sua chance, batendo com perigo, mas para fora. Aos 21, um lance que complicou a estratégia costarriquenha: Óscar Duarte fez falta em Cholevas e recebeu o segundo amarelo. A situação começou a ficar crítica pra Costa Rica.

Aos 25, Samaras cruzou e Navas mais uma vez salvou. Com a Grécia precisando do gol, a Costa Rita investiu toda sua defesa em faltas. Gekas recebeu bom passe aos 38 minutos, mas faltou técnica pra finalizar. Aos 42 minutos, Christodoulopoulos invadiu a área, mas parou nas mãos de Navas. No último minuto do tempo regulamentar, quando tudo já estava praticamente encaminhado, Sokratis ficou com o rebote de Navas e bateu pro gol, deixando tudo igual e explodindo a torcida grega em Fortaleza. A Grécia ainda poderia ter virado aos 48, se o cabeceio de Mitroglou não parasse na grande defesa de Navas.

PRORROGAÇÃO

No primeiro minuto do tempo extra, Navas evitou um gol contra. Com a diferença de jogadores, a Grécia era só ataque. A Costa Rica queria mesmo a decisão nos pênaltis. Quando a Costa Rica mostrava vontade em atacar, faltava pulmão. No primeiro minuto do segundo tempo da prorrogação, Campbell recebeu e bateu pra fora. Pela Grécia, quando Geka foi lançado, Navas cresceu pra cima do costarriquenho e recuperou a bola. Aos sete minutos, Navas, de novo, salvou chute de Christodoulopoulos, e no último minuto, operou um milagre no chute de Mitroglou. Mais uma decisão nos pênaltis.

PÊNALTIS

Celso Borges, filho de brasileiro, abriu a cobrança para a Costa Rica, batendo no meio e marcando o gol. Mitroglou bateu no canto, e viu o goleiro morrer no outro. Ruiz bateu alto e recolocou a Costa Rica em vantagem. Christodoulopoulos bateu no cantinho e empatou. Giancarlo Gonzáles escolheu o meio e marcou. Chovelas também bateu no canto e empatou. Até aí, 3 a 3. O exausto Campbell deixou a Costa Rica na frente mais uma vez e Gekas parou na defesa de Navas. Sobrou para Umaña a missão de bater forte, no canto esquerdo, e dar a vaga para os costarriquenhos. 5 a 3.

Ficha do jogo:

Costa Rica 1 (5) x (3) 1 Grécia

COSTA RICA:

Navas; Duarte, González e UmañaGamboa (Acosta), Borges, Tejeda (Cubero)Bolaños (Brennes), Díaz e Ruíz; Campbell.

Técnico: José Luis Pinto

GRÉCIA:
Karnezis; TorosidisManolasSokratis e CholevasManiatis (Katsouranis), KaragounisSalpingidis (Gekas)Samaris (Mitroglou)Christodoulopoulos; Samaras.

Técnico: Fernando Santos

Local: Arena Pernambuco, Recife (PE)
Público: 41.242
Data: 29/06/2014
Horário: 17h

Gols: Bryan Ruiz, aos seis minutos do segundo tempo (Costa Rica); Sokratis, aos 45 minutos do segundo tempo (Grécia)

Pênaltis:
Costa Rica: Borges (GOL); Ruíz (GOL); González (GOL); Campbell (GOL); Umaña (GOL)
Grécia: Mitroglou (GOL); Lazaros (GOL); Cholevas (GOL); Gekas (ERROU)

Cartões amarelos: Samaris e Manolas (Duarte, Granados, Ruíz, Navas (CRC)
Cartões vermelhos: Duarte (CRC)

0 comentários :

Postar um comentário