sexta-feira, 13 de junho de 2014

'Em casa'

Torcida chilena dá show, faz jogadores se sentirem em casa e sul-americanos estreiam na Copa com vitória sobre a Austrália

De Nova Lima (MG).
Por Rodolpho Victor.

13/06/2014 - Na Arena Pantanal, em Cuiabá, Chile e Austrália estrearam na Copa do Mundo 2014 em mais um jogaço de bola na noite desta sexta-feira. Após a inesperada goleada da Holanda sobre a Espanha por 5 a 1, o Chile estava de olho na vitória para se colocar como forte candidato à classificação. E os sul-americanos não titubearam. Com o apoio do torcedor, que cantou durante os 90 minutos e o 3 a 1 no placar, os chilenos entram na lista dos latinos que estrearam com o pé direito, assim como Brasil e México.

A vitória chilena faz a a seleção terminar a rodada de abertura na segunda colocação do Grupo B e, tecnicamente, necessitar de mais uma vitória para a classificação. A Austrália é a terceira colocada e, caso queira se classificar, precisaria de dois resultados positivos contra as gigantes Espanha e Holanda.

A próxima rodada já pode definir os classificados do Grupo B. Na próxima quarta (18), às 13h, a Austrália enfrenta a Holanda no Beira-Rio, mas o grande jogo do dia será às 16h, no Maracanã, entre Espanha e Chile.

Valdivia marcou o seu gol na vitória chilena.
(Foto: Getty Images)

O jogo

A torcida do Chile estava em maior número e muito mais animada na Arena Pantanal. Talvez estivesse contando com a torcida de Santos, Internacional e Palmeiras, porque Mena, Aránguiz e Valdívia estavam em campo. Desde o hino nacional já dava para sentir a pressão dos chilenos, que copiaram a forma brasileira e completaram a cantoria à capela.

Falando de futebol, a aposta, claro, era na equipe chilena, que conta com bons nomes. Mas o primeiro lance foi da Austrália, testando o goleiro Bravo num cruzamento. O Chile tocava bem, avançava os laterais e mostrava domínio. No 11º minuto de jogo, Aránguiz recuperou uma bola, fez cruzamento e viu a bola cair nos pés de Sánchez, que bateu entre o goleiro e a trave, fazendo o primeiro do Chile na Copa. Quando a torcida ainda comemorava, novamente Sánchez fez boa jogada e tocou para Valdívia, que da entrada da área, viu o goleiro um pouco adiantado e bateu com inteligência por cima do gol, ampliando e dando tranquilidade para a Roja. O meia não marcava desde outubro de 2011 por sua seleção.

Na primeira parte do jogo, o Chile tocava a bola como se estivesse treinando. A Austrália não mostrava consistência defensiva e nem oferecia perigo em seus ataques. Mas se enganou quem achava que eles estavam perdidos. Apenas chamavam o adversário para seu campo de defesa.

Aos 18 minutos, Cahill roubou bem a bola e tocou pra Oar, que bateu de longe; a bola passou ao lado da meta chilena. Isla cruzou pra Vital e o meia isolou, na sequência. Leckie, velocista que participou bastante do jogo, errou um cruzamento bisonhamente, mas os australianos já tinham descoberto a arma para diminuir. A Austrália aproveitou a baixa estatura do Chile – a menor da competição – para Tim Cahill subir mais alto que todo mundo e diminuir o marcador de cabeça. Faltando dois minutos para o fim da primeira etapa, Bresciano insistiu em cruzar por baixo e a zaga afastou, deixando o fim do primeiro tempo em 2 a 1 para os sul-americanos.

O segundo tempo mal havia começado, mas a Copa já pode ter acabado para o lateral Franjic, que foi substituído aos três minutos, após choque com Mena. Dois minutos depois, Cahill dividiu com Jara e ficou cobrando do árbitro um pênalti, em vão. Aos sete, Cahill marcou o gol, mas estava em posição irregular. Aos 10, Bresciano bateu de primeira e Bravo fez uma grande defesa.

A torcida do Chile cantava para empurrar o time, que só voltou a pressionar aos 15 minutos. Vargas bateu para o gol e a bola ia entrando devagar até que Wilkinson tirou em cima da linha. Foi a primeira vez que a tecnologia funcionou de verdade para saber se a bola realmente tinha entrado.

Aos 33 minutos, Beausejour, que entrou na etapa final na ponta esquerda, cruzou bem, mas a zaga do Chile cortou. Cinco minutos depois, Sánchez arriscou de longe e isolou. Nos acréscimos, quando a Austrália era melhor em campo e buscava o gol de empate, Beausejor recebeu rebote e bateu forte, cruzado, no canto, fazendo um lindo gol de fora da área e dando a vitória ao Chile, que tem duas pedreiras pela frente.

Ficha do jogo:

Chile 3x1 Austrália

CHILE:
Bravo; Isla, Diaz, Jara e Mena; Medel, Aránguiz, Valdivia (Beausejour) e Vidal (Gutierrez); Alexis Sanchez e Vargas (Pinilla).
Técnico: Jorge Sampaoli

HOLANDA:
Ryan; Franjic (McGowan), Wilkinson, Spiranovic e Davidson; Milligan, Jedinak, Cahill, Troisi e Bresciano (Troisi); Oar (Halloran).
Técnico: Ange Postecoglou


Gols: Alexis Sánchez, aos 11, Valdivia, aos 13 minutos do primeiro tempo, e Beausejour, aos 46 minutos do segundo tempo (CHI); Cahill, aos 34 minutos do primeiro tempo (AUS)

Local: Fonte Nova, em Salvador (BA)
Data: 13/06/2014
Horário: 16h (de Brasília)

Árbitro: Nicola Rizzoli (ITA)
Assistentes: Andrea Stefani e Renato Faverani (ITA)

Cartões amarelos: Casillas (Espanha); de Vrij, de Guzmán e van Persie (Holanda)

0 comentários :

Postar um comentário