sábado, 21 de junho de 2014

Eles têm Messi

Defesa infiltrável do Irã quase segura empate heroico no Mineirão, mas Messi marca nos acréscimos e classifica a Argentina

De Belo Horizonte.
Por Jéssica Guimarães.

21/06/2014 - Abrindo a segunda rodada do Grupo F da Copa do Mundo, Argentina e Irã se enfrentaram no início da tarde de hoje, no Mineirão, em Belo Horizonte. O confronto marcava o reencontro do técnico argentino, Alejandro Sabella, ao estádio palco da conquista do título de maior expressão em sua carreira como treinador: a Copa Libertadores do ano de 2009 pelo Estudiantes, em final contra o Cruzeiro. Sabella e os hermanos encontraram extrema dificuldade contra um valente Irã, que se segurou até o fim, com destaque para o goleiro Haghighi. Mas quando o 0 a 0 parecia se encaminhar, Messi apareceu aos 46 minutos da etapa complementar para marcar um golaço e classificar a Argentina às oitavas.

Com o resultado, a Argentina chega a seis pontos e se garante na próxima fase, independentemente do resultado de Nigéria e Bósnia e Herzegovina, que se enfrenta, às 19h, em Cuiabá. O Irã fica com um ponto, assim como a Nigéria, enquanto a Bósnia ainda não pontuou. Na rodada final, jogos na quarta-feira (25), às 13h. Na Fonte Nova, em Salvador, Bósnia vs. Irã; no Beira-Rio, em Porto Alegre, Nigéria vs. Argentina. 

Ele decidiu de novo.
(Foto: AFP)

O jogo

Desde os dias em que antecederam a partida, Belo Horizonte exalava em suas esquinas e noites boêmias a grande presença dos hermanos. Hoje não fora diferente. Os torcedores argentinos se apresentavam em maioria e haviam também muitos brasileiros vestindo a camisa celeste. Logo pela manhã, as ruas em volta do Mineirão se tornaram um mar latino americano de torcedores, principalmente argentinos, sempre muito otimistas e confiantes em Messi. Eles estavam certos.

Se sentindo em casa, a Argentina apostou em um sistema mais ofensivo no jogo desse sábado, ao contrário do que aconteceu no jogo de estreia contra a Bósnia, quando a seleção de Sabella jogou com três zagueiros e também venceu de forma apertada, por 2 a 1. Há quem diga que a mudança se deve à forte influência de Messi, que, segundo o próprio, sente-se mais a vontade com a presença de mais um jogador de ataque no sistema tático. Em campo, vimos, principalmente no primeiro tempo, a seleção iraniana muito bem postada defensivamente em linhas de quatro ou até cinco defensores, a fim de neutralizar totalmente as jogadas da Argentina.

Messi começou jogando pelas laterais e ainda no primeiro tempo buscou o jogo no meio. Apesar das tentativas, a defesa do Irã parecia infiltrável. Alguma esperança havia quando Di Maria tocava na bola, sempre driblando em busca da linha de fundo. Mas, nenhuma chance clara de gol. Do lado do Irã, o time se mostrava muito bem defensivamente, mas não tinha qualidade técnica para encaixar um contra-ataque, não conseguindo acertar sequer três passes seguidos.

No segundo tempo, o Irã voltou melhor e, até se arriscou no ataque. Três chances claras – as melhores do jogo – de gol pararam nas mãos de Romero. Messi continuava mal e Di Maria pouco apareceu. O ambiente parecia favorável ao Irã, que se sentiu à vontade na partida, e ainda contava com a segurança do bom goleiro Haghighi, que também fez defesas importantes. Para a Argentina, as melhores possibilidades ainda se davam pela lateral esquerda, que se encontrava vulnerável devido ao recente impulso ao ataque dos iranianos.


Já nos acréscimos, quando tudo se encaminhava para um justo empate sem gols, Messi, o craque do time, decretou a vitória argentina na partida tecnicamente muito equilibrada. Explosão no Mineirão. De fora da área, Messi, verdadeiro salvador da pátria, marcou um belo gol e ao seu estilo. Da entrada da área, cortou para a canhota e mandou no ângulo, sem chances para Haghighi. E o estádio brasileiro parecia, por alguns minutos, ser a La bombonera. Classificação da Argentina na mão, graças aos pés de Lionel Messi: dois gols em dois jogos. 

Ficha do jogo: 

Argentina 1x0 Irã 

ARGENTINA: 
Romero; Zabaleta, Federico Fernández, Garay e Rojo; Mascherano, Gago e Di María (Biglia); Higuaín (Palacio), Messi e Agüero (Lavezzi).
Técnico: Alessandro Sabella 

IRÃ: 
Haghighi; Montazeri, Hosseini, Sadeghi e Pooladi; Hajisafi (Haghighi), Nekounam, Shojaei (Hendari), Timotian, e Dejagah (Jahan Bakhsh); Ghoochannejad.
Técnico: Carlos Queiroz 

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG) 
Público: 57.698
Data: 21/06/2014
Horário: 13h (de Brasília) 

Gol: Argentina: Messi, aos 46 minutos do segundo tempo

Árbitro: Milorad Mazic (Sérvia) 
Assistentes: Milovan Ristic e Dalibor Djurdjevic (ambos da Sérvia) 

Cartões amarelos: Nekounam e Shojaei (Irã)

0 comentários :

Postar um comentário