sexta-feira, 27 de junho de 2014

B.A. na Copa #37: As oitavas - parte I

Com o final da primeira fase, vem o mata-mata: o que as 16 seleções restantes podem esperar de seus confrontos?


De Aracaju.
Por Henrique Ferrera.

27/06/2014 - A primeira fase da Copa do Mundo FIFA acabou. Muitas surpresas, decepções, jogos excelentes e muita emoção. Mas é agora que o campeonato começa de verdade: as dezesseis seleções que restaram vão em busca do título, e não é mais permitido errar, pois uma derrota é o passaporte de volta para casa. Confira uma análise dos confrontos das oitavas-de-final:


Brasil x Chile - 28/06, 13h, em Belo Horizonte

O Brasil não começou muito encantador, mas a goleada sobre Camarões deu um novo alento à torcida que já andava desconfiada. A entrada de Fernandinho na equipe deu outra dinâmica ao jogo, que antes dependia exclusivamente da genialidade de Neymar. Com a equipe em crescente e a torcida a favor, o Brasil chega confiante para a partida contra o Chile.

Apesar da boa fase de grupos, o Chile chega receoso para enfrentar o Brasil, país de quem sempre foi freguês. Mesmo assim, os chilenos creem que têm futebol para surpreender o dono da casa. O jogo contra a Holanda demonstrou algumas fragilidades, como a baixa estatura da equipe, e isso pode ser fator determinante para um eventual fracasso.

Colômbia x Uruguai - 28/06, 17h, no Rio de Janeiro

A Colômbia encantou na primeira fase com seu futebol envolvente e suas alegres comemorações. Um time com ótimos valores, que foi crescendo coletivamente ao longo da preparação e hoje vive seu ápice, onde até mesmo a contestada defesa vem atuando bem. Na frente, James Rodríguez e Cuadrado vão desfilando habilidade e velocidade, e apesar de Teo Gutiérrez ser contestado, o atacante do River Plate vai se mantendo como o substituto de Falcao García.

Se tem um time que personifica a garra, esse é o Uruguai. Conseguiu a classificação para as oitavas se doando muito a cada jogo. Óscar Tabárez sabe das limitações do seu time, e arma a equipe para usar as armas que tem: Cavani e Suárez. O problema é que o último teve (mais) uma atitude intempestiva, e desfalcará o Uruguai no restante da competição. Serão os uruguaios capazes de compensar a falta de seu craque com muita força de vontade?

Holanda x México - 29/06, 13h, em Fortaleza

Individualmente, a Holanda tem o melhor jogador da Copa até o momento: Robben vem fazendo partidas memoráveis, sendo decisivo em todas. Van Persie só jogou duas partidas, mas também vem mostrando faro de gol. Com o desempenho mediano de Sneijder, estão depositadas nos dois as esperanças de uma boa campanha. Louis Van Gaal montou um sistema de contra-ataque, usando jovens na defesa e dando toda a liberdade para suas estrelas brilharem, e vem dando certo.

Depois da pífia campanha nas eliminatórias, o México veio sob muita desconfiança. Porém, o técnico Miguel Herrera conseguiu formar um time forte coletivamente, principalmente pela velocidade das suas laterais. Layún e Guardado fazem dupla perigosa na esquerda, enquanto Herrera e Aguilar se entendem bem na direita. Ochoa vem sendo um paredão no gol, e a classificação sobre a Croácia deu muita confiança aos mexicanos.

Costa Rica x Grécia - 29/06, 17h, em Recife

Definitivamente o confronto mais alternativo das oitavas. Muito disso se deve à Costa Rica, que passou em primeiro lugar no grupo da morte, com três campeãs mundiais. Mais importante que simplesmente a classificação, a Costa Rica passou sem se retrancar, mostrando qualidade, principalmente no setor ofensivo com Bolaños, Campbell e Bryan Ruíz. Com esse retrospecto, a Costa Rica vai sonhando e vivendo jogo a jogo.

A Grécia sabia que não tinha o talento de seus companheiros de grupo, mas nem por isso se deu por vencida. Ciente da limitação do elenco, Fernando Santos privilegiou um jogo de passes curtos e defesa fechada, que não deu certo contra a Colômbia, mas segurou o Japão e culminou com a heroica vitória sobre a Costa do Marfim. Samaras vem sendo o grande nome da equipe, e com a lesão de Kone, Christodoulopoulos pode assumir a vaga e deixar o camisa 7 jogar mais perto da área.

Amanhã, a série B.A. na Copa volta com a análise das oitavas dos dias 30/06 e 01/07.

0 comentários :

Postar um comentário