sábado, 31 de maio de 2014

Uma vez Flamengo? Não, Três!

Em jogo apertado até o fim, Flamengo derrota Paulistano e conquista o terceiro título no NBB

De São Paulo.
Por Eduardo do Carmo.

31/05/2014 - O Clube de Regatas Flamengo confirmou o favoritismo e conquistou a temporada 2013/14 do Novo Basquete Brasil. Na manhã deste sábado, na HSBC Arena, no Rio de Janeiro, o Mengão bateu o Club Athletico Paulistano por 78 a 73 na decisão do NBB 6. Com o triunfo, a equipe rubro-negra faturou o bicampeonato e o terceiro título na história da competição.

Experiente Marcelinho sofre marcação dura do Paulistano na final do NBB 6.
(Foto: Ricardo Ramos/LNB)

Marcelinho e Meyinsse, ambos do Flamengo, dividiram o posto de cestinha da final, com 16 pontos cada. Pelo Paulistano, destaque para os americanos do elenco. Holloway marcou 15 e Dawkins anotou 14.

A partida foi muito equilibrada e o Paulistano, mesmo fora de casa, vendeu caro a derrota. O Flamengo teve início arrasador, mas logo a equipe visitante se recuperou. Nas parciais, o Mengão só não venceu o segundo quarto. Alguns erros ''bobos'' da equipe de São Paulo foram fatais contra o forte adversário.

Na história dos confrontos entre as equipes, o Flamengo é quase soberano. Essa final foi a 16ª partida, com 15 vitórias da equipe carioca e apenas uma do Paulistano. Na fase de classificação, duas vitórias fáceis do rubro-negro. 

Passado, presente e futuro

O Flamengo levou a primeira edição (2008/09) contra o Brasília, que dominou as três temporadas seguintes. Em 2013, o Mengão voltou bem e foi campeão diante do Uberlândia. O bi coroa o melhor time da América Latina, que recentemente recebeu convite para participar da pré-temporada da NBA, melhor liga de basquetebol do mundo. Em setembro, os cariocas disputam o Mundial de Clubes contra o Maccabi Tel Aviv, de Israel.  

Mesmo com o vice-campeonato, o Paulistano fez um bom papel no NBB. Pela primeira vez, foi finalista e atuou de igual para igual. Além disso, garantiu vaga para a Liga das Américas de 2015.

A trajetória do campeão

Na primeira fase, o Flamengo liderou com 26 vitórias e apenas seis derrotas. Com o primeiro lugar, o Mengão entrou na fase de quartas de final. Contra o Bauru, deu um susto na torcida no primeiro jogo. Em casa, derrota por 74 a 70. Nas três partidas seguintes, porém, triunfos e classificação.

Na semifinal, a surpresa de Mogi das Cruzes pela frente. O rubro-negro venceu o primeiro duelo, mas sofreu revés no segundo. Fora dos domínios, duas vitórias apertadas e vaga na decisão.

Quando a bola subiu...

É, a bola subiu, mas demorou para cair. No primeiro minuto, erros sucessivos fizeram com que o placar não saísse do zero. Em um lance livre, Olivinha fez o primeiro ponto do Mengão. Na sequência, o Paulistano acertou o primeiro chute de quadra. O time carioca, então, impôs o seu jogo e, faltando cinco minutos para o fim do primeiro quarto, abriu 15 a 4. O técnico Gustavo de Conti pediu tempo para arrumar a equipe da capital de São Paulo. E a orientação surtiu efeito, pois o CAP voltou bem ao duelo.

Nesse instante, a grande preocupação paulista era Labbate, que sofreu um corte perto ao olho. Com muito sangramento, o pivô foi substituído para o atendimento médico. Mesmo com o pior momento na primeira etapa, o Flamengo manteve a vantagem: 22 a 17.

Flamenguistas lotaram a Arena HSBC, no Rio de Janeiro, palco da decisão.
(Foto: Luiz Pires/LNB)

No início do segundo período, César acertou uma bola de três e o Paulistano encostou de vez. No outro lado, Marquinhos respondeu na mesma moeda e deu tranquilidade momentânea ao Mengão. O armador Laprovittola levantou a torcida da casa com um lance individual, mas o ginásio logo murchou. Isso porque o time visitante virou o marcador: 27 a 25. Nos últimos seis minutos, muito equilíbrio e diversas trocas de liderança no placar. O Paulistano levou 40 a 38 a seu favor para os vestiários.

Após o intervalo, os paulistas voltaram desligados e os cariocas acertaram duas cestas seguidas de três. Com falta antidesportiva, o Paulistano teve dois lances livres e posse de bola. O time paulista, porém, desperdiçou um dos arremessos e não pontuou no ataque. Aos poucos, o CAP se encontrou. Faltando sete minutos, Dawkins anotou três pontos e colocou 48 a 44 para o Paulistano.

O confronto seguiu muito equilibrado. O empate marcou a maior parte do terceiro quarto. No último minuto, Felício, no entanto, converteu um chute de três e o Flamengo fez 60 a 56. O Paulistano ainda teve dois lances livres e só concluiu um: 60 a 57.

No último período, o Flamengo ampliou o resultado e contou com erros adversários. Alguns de certa forma simples dificultaram a vida do Paulistano. Faltando cinco minutos, 71 a 66 para os mandantes. Com isso, Gustavinho parou o jogo para orientação. Com uma correção de placar, por conta de uma bola de dois que havia sido marcada para três, o Flamengo voltou para 70.

Era tudo ou nada para o Paulistano, que reforçou ainda mais o setor defensivo e diminuiu o prejuízo: 72 a 71. Faltavam menos de dois minutos e Marcelinho errou um lance livre. No ataque seguinte, do outro lado, Holloway fez os dois e igualou: 73 a 73. O Mengão fez 75, se defendeu e Marcelinho dessa vez anotou os dois lances livres: 77 a 73.

O treinador do Paulistano solicitou outro tempo para montar o esquema ofensivo. Na prática, o ataque não deu certo. Renato arriscou de três, mas passou longe. O Flamengo recuperou a posse de bola e definiu o título no Novo Basquete Brasil.

0 comentários :

Postar um comentário