domingo, 18 de maio de 2014

Que moral!

Com incrível reação no último quarto, Paulistano vence ‘batalha’ contra São José, fora de casa, e fica a uma vitória de sua primeira final de NBB na história

Por Liga Nacional de Basquete.


18/05/2014 - O Paulistano/Unimed está a um passo de sua primeira final de NBB. Na tarde deste domingo, a equipe do técnico Gustavo De Conti aplicou uma bela virada no último quarto, e venceu uma verdadeira batalha contra o São José/Unimed, em pleno lotado e barulhento ‘caldeirão’ Lineu de Moura, pelo placar de 80 a 74.


Com o resultado positivo, o time da capital paulista tornou a estar em vantagem na série semifinal, por 2 a 1. A partida que pode definir a ida do Paulistano para a final do NBB 2013/2014 acontecerá na próxima terça-feira (20/05), novamente no ‘caldeirão’ Lineu de Moura, no Vale do Paraíba, às 21 horas (de Brasília), com transmissão ao vivo através dos canais SporTV.

Jogadores do Paulistano comemoram vitória fora com a torcida.
(Foto: Claudio Capucho/PMSJC)

Os principais nomes do grande triunfo da equipe do Jardim América ficaram por conta do ala norte-americano Holloway, autor de 18 pontos, sendo oito deles no período final, seguido pelo ala Pedro, que saiu do banco e anotou 16 pontos. Já o São José, que jogou desfalcado de Quezada e Alex Oliveira, ambos lesionados na última partida da série, teve como maior figura em quadra o ala/pivô Jefferson William, cestinha do jogo, com 23 pontos.

“O jogo foi muito bom. Começamos mal na defesa, mas nosso último quarto foi muito bom. Fomos beneficiados por estarmos com o time completo final, e com isso conseguimos rodar bem e colocar todo mundo. Eu acho que isso que fez a diferença, pois eles estavam com alguns jogadores machucados e outros que não estavam 100%. É difícil jogar com tanta gente contra como é aqui em São José, eles estão de parabéns”, comentou Pedro.

Além de reassumir a ponta da série, o triunfo do Paulistano tratou de quebrar duas invencibilidades históricas que o  São José carregava, uma de 15 jogos de playoffs sem perder no Ginásio Lineu de Moura, e outra de nunca ter sido derrotado em uma partida válida pelas semifinais do NBB jogando em casa – haviam sido cinco jogos, com cinco vitórias diante de seu torcedor.

Torcida joseense compareceu em bom número.
(Foto: Claudio Capucho/PMSJC)
Empurrado por sua torcida apaixonada, o São José começou com tudo a partida e abriu logo 11 a 2 nos primeiros dois minutos de jogo, o que já explodiu o ‘caldeirão’ Lineu de Moura. O confronto caiu em nível técnico, porém, a equipe do técnico Luiz Augusto Zanon chegou a ter dez pontos de frente (13 a 3). Porém, apesar dos diversos erros de ambas as partes, o Paulistano chegou a reduzir a diferença para cinco pontos, e encerrou a etapa inicial com sete atrás (16 a 9).
O segundo quarto continuou extremamente truncado e amarrado na segunda parcial, e um dos reflexos deste cenário foi a baixa pontuação apresentada no placar. O time visitante chegou a estar apenas três pontos atrás (21 a 18), mas o São José voltou para o jogo e recuperou uma boa vantagem (26 a 18), vantagem esta que, com mão quente do ala/pivô Jefferson, autor de 12 pontos, sendo em três bolas de 3 ponto seguidas, chegou a ser de 13 tentos (37 a 24), e terminou em oito pontos (39 a 31).
Com importante participação do pivô norte-americano Ed Nelson dos dois lados da quadra, o São José manteve a boa diferença, sempre na casa dos dez pontos. o Paulistano tornou e incomodar a soberania dos donos da casas na partida e chegou a voltou a reduzir a margem para cinco pontos (55 a 50). Mas Nelson apareceu novamente e, com pontos e rebotes decisivos, levou o time do Vale do Paraíba para o último quarto com dez pontos de frente (60 a 50).
O esquadrão da capital paulista estava realmente disposto a mudar a história da partida. E conseguiu. Com bolas de 3 decisivas, os comandados de Gustavo De Conti reduziram a diferença para apenas um ponto na metade do período final e colocou fogo de vez no jogo (64 a 63). Ainda insistindo e marcando forte, o Paulistano chegou a virar o jogo, há três minutos do fim do duelo (67 a 66). Sob o comando do ala norte-americano Holloway, o time de Jardim América chegou a abrir cinco tentos de frente (73 a 68).
A partir daí, o São José começou uma perseguição em busca da virada. Mas o resultado não foi o esperado. A cada bola que a equipe da casa convertia, o Paulistano devolvia com um balde de água fria, que mantinha a boa vantagem na casa dos cinco pontos. Mostrando frieza nos lances livres, a equipe do técnico Gustavinho consolidou sua bela vitória nos segundos finais para ficar em vantagem na série semifinal, por 2 a 1 (80 a 74).
“Hoje foi uma situação adversa. Acho que foi um jogo muito físico, de muita qualidade física. O Paulistano estava rodando vários jogadores, já nós fomos perdendo jogadores com cinco faltas, além dos que não jogaram. E isso pesa muito no contexto. Mas isso é normal. Tivemos muitos bons momentos e poderíamos ter ganhado o jogo. Mas no fim, os jogadores vão cansando, ficamos com poucos jogadores e nós vamos sentindo. Estamos de parabéns, lutamos com todas as forças”, declarou o técnico do São José, Luiz Augusto Zanon.
Paulistano/Unimed (2º) 2x1 São José/Unimed (6º)
Jogo 1 - 13/05 (terça), às 19h30: 
Jogo 2 - 15/05 (quinta), às 19h30: 
Jogo 3 - 18/05 (domingo), às 16h: 
São José 74x80 Paulistano, no Lineu de Moura, em São José dos Campos (SP) 
Jogo 4* - 20/05 (terça), às 21h: 
São José x Paulistano, no Lineu de Moura, em São José dos Campos (SP) 
Jogo 5* - 23/05 (sexta), às 21h: 
Paulistano x São José, no Antônio Prado Jr, em São Paulo (SP) 

* Se necessário

0 comentários :

Postar um comentário