domingo, 11 de maio de 2014

Na raça

Cheio de desfalques, Atlético-MG consegue primeira vitória no Brasileiro batendo reservas do Cruzeiro

De Belo Horizonte.
Por Bruno Santana.

11/05/2014 - Perda do Campeonato Mineiro, desclassificação na Libertadores e um péssimo começo de Campeonato Brasileiro. Isso tudo somado a uma série de lesões que fez o técnico Levir Culpi escalar o Atlético-MG no 3-5-2, esquema não muito utilizado no clube. Mesmo assim, o Galo foi superior no clássico deste domingo, disputado no Horto. O Cruzeiro terminou o primeiro tempo na frente, mas, aos trancos e barrancos no segundo tempo, o alvinegro conseguiu a virada e somou três pontos com a primeira vitória no Brasileirão, por 2 a 1. Marcelo Moreno marcou para a Raposa na etapa inicial, enquanto Marion e André viraram para o Alvinegro no segundo tempo.

Os cruzeirenses saíram insatisfeitos com o trio de arbitragem, por não ter marcado uma mão do zagueiro Otamendi dentro da área e por ter assinalado um impedimento inexistente de Alisson, que estava em ótimas condições de marcar o gol do empate no Independência.

Alvinegros comemoram gol de André (à direita), o da virada.
(Foto: Bruno Cantini/Atlético)

Na sequência do Brasileirão, o Cruzeiro pega o Coritiba no sábado (11), às 18h30, no Mineirão, mas antes disto, a Raposa terá a missão de reverter a desvantagem de 1 a 0 diante o San Lorenzo, também no Mineirão, pelas quartas de final da Copa Libertadores. Jogo às 22h da quarta-feira (14). Já o Galo vai até a Arena Pantanal fazer o último teste do estádio para a Copa do Mundo diante o Santos, mandante da partida, no domingo (18), às 18h30.

Galo com mais posse; Cruzeiro mais objetivo

Mesmo desfalcado, o Galo entrou com vontade em busca do resultado. O time alvinegro dominou a posse de bola durante toda a partida, só que a falta de criatividade era uma grande barreira a ser vencida pela equipe mandante. Enquanto isso, o Cruzeiro estava atento aos contra-ataques para levar perigo ao gol de Victor.

Alex Silva, que vinha sido execrado por grande parte da torcida atleticana, fez uma boa partida. Aos oito minutos, ele recebeu um passe de calcanhar de André e invadiu a área pela direita. O lateral colocou a bola na perna direita de Fernandinho, que teve que se posicionar para finalizar com a esquerda e acabou mandando por cima.

O jogo chegou a ficar preso e o Cruzeiro respondeu na metade da primeira etapa. Após erro de saída de bola de Edcarlos e troca de passes, a bola sobrou para Luan chutar forte na saída de Victor, mas errando o alvo. Aos 35 minutos, Marlone cobrou escanteio na cabeça de Marcelo Moreno, que obrigou Victor trabalhar em dois tempos para defender o cabeceio.

Dois minutos depois, o gol cruzeirense. Souza penetrou na grande área e chutou forte, cruzado e rasteiro para o gol; Victor deu rebote e a bola sobrou limpa para Marcelo Moreno completar para o fundo das redes e abrir o placar para a Raposa.

O Atlético procurava avançar em busca do empate. Aos 43 minutos, Fernandinho rolou para Tardelli chutar de fora da área, com a bola passando rente à trave direita de Fábio. Aos 45, Otamendi cabeceou com perigo, mas em cima de Fábio, que realizou boa defesa. O Cruzeiro conseguiu manter a vantagem até o final do primeiro tempo.

Virada na raça e arbitragem polêmica 

O Galo voltou um pouco desligado e nervoso na segunda etapa, com o Cruzeiro melhorando o seu porcentual de posse de bola. Em três minutos, Victor, Leonardo Silva e Leandro Donizete foram amarelados. Os jogadores e a torcida ficaram revoltados e parece que isso deu um ânimo para o Atlético. Sem técnica e com vontade, o alvinegro chegou ao empate. Aos nove minutos, Alex Silva chegou pela direita e cruzou para a área. A bola bateu em Mayke e sobrou limpa para Marion estufar as redes de Fábio.

A torcida atleticana inflamou o Horto, mas o Cruzeiro não queria deixar barato o gol de empate. Aos 21 minutos, Luan chutou de fora da área e levou grande perigo a Victor, com a bola passando por cima da meta do goleiro atleticano.

No lance seguinte, veio o primeiro lance polêmico da partida. Léo foi acionado pela esquerda e tentou limpar Otamendi dentro da área. O argentino levou a mão na bola e o árbitro Heber Roberto Lopes não marcou nada. Curiosamente, Luan poderia seguir com a jogada, sendo que tinha espaço para levar perigo ao gol atleticano, mas preferiu reclamar com a arbitragem.

Aos 24 minutos, em cobrança de falta levantada para a área, o árbitro viu um puxão de Léo em Leonardo Silva e assinalou pênalti. Na cobrança, André cobrou no meio do gol, na famosa “batida de segurança”, e virou a partida. A situação piorou para o Cruzeiro. Aos 30 minutos, Luan acertou uma cotovelada em Pierre e foi expulso.

Aos 41 minutos, mais um lance polêmico. Marcelo Moreno acionou Alisson, com três atleticanos dando condições ao atacante cruzeirense, que saiu livre na cara do goleiro Victor e a assistente Fernanda Colombo Uliana assinalou impedimento do jogador celeste, gerando revolta de seus companheiros.

O jogo seguiu e, aos 46, a bola sobrou limpa para Alisson realizar o arremate, que acabou sendo salvo por Otamendi em cima da linha. Fim de jogo e os jogadores cruzeirenses e o técnico Marcelo Oliveira foram em direção ao trio de arbitragem reclamar dos lances polêmicos da partida. Heber Roberto Lopes acabou expulsando Marcelo Moreno, que saiu fazendo gestos de roubo para a arbitragem.

Ficha do jogo:

Atlético-MG 2x1 Cruzeiro

ATLÉTICO: 
Victor; Otamendi, Leonardo Silva e Edcarlos (Carlos); Alex Silva, Pierre, Leandro Donizete (Rosinei), Diego Tardelli (Marion) e Emerson Conceição; André e Fernandinho.
Técnico: Levir Culpi

CRUZEIRO: 
Fábio; Mayke, Léo, Wallace e Egídio; Nilton, Souza (Willian Farias), Tinga (Martinuccio) e Marlone (Alisson); Luan e Marcelo Moreno.
Técnico: Marcelo Oliveira

Motivo: 4ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Independência, em Belo Horizonte
Público: 9.041
Renda: R$ 228.435,00
Data: 11/05/14
Horário: 16h

Gols: Cruzeiro: Marcelo Moreno, aos 37 minutos do primeiro tempo; Atlético: Marion, aos 9, e André, aos 24 minutos do segundo tempo

Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC - FIFA)
Auxiliares: Alessandro Rocha de Matos (BA – FIFA) e Fernanda Colombo Uliana (SC – asp. FIFA)

Cartões amarelos: Marlone e Léo (Cruzeiro); André, Victor, Leonardo Silva, Leandro Donizete e Alex Silva (Atlético)
Cartões vermelhos: Luan e Marcelo Moreno (depois do jogo)

***

4ª rodada:
Sábado (10/5), às 18h30: 
21h: 
Domingo (11), às 16h: 
Atlético-MG 2x1 Cruzeiro 
São Paulo 1x1 Corinthians 
Chapecoense 1x2 Grêmio 
18h30: 
Bahia 1x1 Vitória 
Coritiba 0x1 Sport 
Figueirense 0x2 Santos

Classificação: 
1 - Internacional - 10 pontos 
2 - Fluminense - 9 pontos 
3 - Corinthians - 8 pontos
4 - Bahia - 7 pontos e 2 gols de saldo
5 - Cruzeiro - 7 pontos, 1 gol de saldo e 7 gols pró
6 - Sport - 7 pontos, 1 gol de saldo e 5 gols pró
7 - Grêmio - 7 pontos, 1 gol de saldo e 4 gols pró
8 - Goiás - 7 pontos e 0 gol de saldo 
9 - Palmeiras - 6 pontos e 2 vitórias
10 - São Paulo - 6 pontos, 1 vitória e 3 gols de saldo
11 - Santos - 6 pontos, 1 vitória e 2 gols de saldo
12 - Vitória - 5 pontos
13 - Botafogo - 4 pontos e 2 gols de saldo 
14 - Atlético-PR - 4 pontos, -1 gol de saldo e 6 gols pró 
15 - Atlético-MG - 4 pontos,  -1 gol de saldo e 3 gols pró
16 - Flamengo - 4 pontos, 1 vitória e -2 gols de saldo
17 - Criciúma - 3 pontos e 1 vitória 
18 - Coritiba - 3 pontos e 0 vitória  
19 - Chapecoense - 1 ponto
20 - Figueirense - 0 ponto

0 comentários :

Postar um comentário