domingo, 18 de maio de 2014

B.A. na Copa #7: Os grupos

Na sétima matéria da série especial sobre a Copa do Mundo, começamos a falar sobre as oito chaves de 2014

De Belo Horizonte.
Por Márcio Júnio.

18/05/2014 - Sétima matéria da série B.A. na Copa. A partir deste domingo, começamos a analisar cada um dos oito grupos da Copa do Mundo FIFA 2014, sorteados no dia 6 de dezembro de 2012, na Costa do Sauípe (BA). Neste texto, faremos uma análise mais geral, deixando o detalhamento de cada uma das chaves para os próximos dias da semana. 




No grupo A, os primeiros passos de nossa seleção parecem ser fáceis. As coisas vão começar a complicar a partir das oitavas de final, já que podemos pegar Holanda, Espanha ou Chile. Sem dúvida nenhuma, o “grupo da morte” é o D, que conta com três campeões do mundo: Itália, Inglaterra e Uruguai. Para o Brasil, a única vantagem é que um grande já fica pelo caminho. Diferente do grupo F, grupo da Argentina. Os nossos vizinhos terão missão fácil. Pra quem gosta de show, os jogos dos hermanos serão uma boa, já que a expectativa é de várias goleadas. 

Falando em espetáculo, não podemos esquecer de Cristiano Ronaldo. No Grupo G, de Portugal, equilíbrio total. A Alemanha pode até estar um passo à frente, mas dentro de campo as coisas mudam. Esse grupo promete.


Já estamos em contagem regressiva. Amarrem suas chuteiras e subam seus meiões. Faltam 25 dias para a Copa do Mundo no Brasil.



Os campeões da Copa das Confederações de 2013.
(Foto: Rafael Ribeiro/CBF)

GRUPO A: Brasil, Croácia, México, Camarões
FAVORITOS:
Brasil e Croácia. ZEBRA: México


BRASIL: Vai ter Copa, sim! E vamos fazer o dever de casa. Jogadores, treinadores e torcedores apontam a seleção brasileira como a grande favorita da competição. Com poucos jogadores que atuaram na última Copa, Neymar é o símbolo maior dessa renovação. O craque do Barcelona é a principal estrela brasileira e irá jogar em casa, em alguns gramados já conhecidos por ele. E, quem sabe, no dia 13 de junho, no Maracanã, Thiago Silva repita o gesto que um dia foi feito por Belini, Carlos Alberto Torres, Dunga e Cafu. 


CROÁCIA: O time croata, mais conhecido pela bela camisa do que por um bom futebol, tem boas condições de buscar a classificação da fase de grupos. Tem um time bem acertado, e alguns jogadores que podem se destacar, como Mateo Kovacic (Inter de Milão), Mario Mandzukic (de saída do Bayern de Munique) e sua principal estrela, o meia Luka Modric (Real Madrid).


ZEBRA: México pode ser a zebra. Apesar de se classificar pela repescagem, a equipe mexicana tem um bom elenco. A principal estrela é “Chicharito” Hernández, jogador do Manchester United, que com ajuda de Giovani dos Santos e o experiente Rafa Márquez podem complicar a vida dos favoritos. Mas não pense que a seleção de Camarões não pode surpreender. Com muita força física e o talento de Samuel Eto'o, podem somar alguns pontos, o que pode deixar o grupo emocionante.



Iniesta e o gol da final da Copa de 2010 contra a Holanda; os dois times se reencontram na primeira fase.
(Foto: Reuters)

GRUPO B: Espanha, Holanda, Chile e Austrália
FAVORITOS:
Espanha e Holanda.  ZEBRA: Chile


ESPANHA: As protagonistas da última Copa se reencontram logo na fase de grupos. Espanhois e holandeses estão no seleto grupo de possíveis campeões. A Espanha de Xavi e Iniesta, mesmo perdendo a Copa das Confederações para o Brasil em 2013, vem em busca do bicampeonato. Para ajudar no sonho, entre os convocados está Diego Costa, brasileiro naturalizado espanhol. Ele foi um dos destaques do Atlético de Madrid, que se sagrou campeão espanhol, nesta semana. Entretanto, ele virou dúvida, pois se lesionou no confronto contra o Barcelona.


HOLANDA: Renovação! Esta palavra define a seleção holandesa. Dos 23 suplentes, mais os sete que estão na “lista de espera”, apenas sete disputaram a Copa de 2010 na África do Sul. Entre eles, Robin van Persie, Arjen Robben e Wesley Sneijder, os craques da laranja mecânica. Jogadores conhecidos como Heitinga e Mark van Bommel ficaram de fora. Mas isso não é problema, já que essa nova geração deu show nas eliminatórias e classificou com facilidade, vencendo nove partidas e empatando uma, dos dez jogos disputados. Com direito à goleada histórica sobre a Hungria por 8 a 1. 


ZEBRA: Chile pode ser uma pedra no sapato. Com jogadores qualificados, que jogam em times de alto escalão da Europa, os chilenos podem surpreender nesta Copa. Primeiramente querendo estragar os planos de Espanha e Holanda, a seleção do Chile aposta nos gols de Alexis Sánchez e Eduardo Vargas, ex-Grêmio. No meio-campo, experiência não falta. Arturo Vidal será o homem de confiança de Sampaoli. O volante ainda se recupera de uma cirurgia no joelho, mas os médicos da Juventus garantiram que ele estará 100% na Copa. A armação fica por conta de Valdívia, camisa 10 muito conhecido pelos brasileiros.

Colombianos são favoritos no grupo C.
(Foto: AFP)

GRUPO C : Colômbia, Costa do Marfim, Japão e Grécia
FAVORITOS:
Colômbia e Costa do Marfim.  ZEBRA: Japão


COLÔMBIA: Falcao Garcia, ao que tudo indica, assistirá sua seleção pela arquibancada. O jogador ainda é dúvida, mas possivelmente ficará de fora da lista de 23 convocados que representarão a Colômbia no Mundial. Apesar do golpe, é uma seleção que vem muito forte e acredito que já seja uma das classificadas para as oitavas. Adrián Ramos e Jackson Martinez serão os responsáveis pelo ataque e terão que dar conta do recado. Fredy Guarín e Cuadrado são os "motorzinhos" do time, responsáveis pela ligação zaga-ataque e facilitam a vida do armador James Rodriguez. Na zaga, tudo tranquilo. Cristhian Zapata e Mario Yepes com certeza darão segurança ao goleirão David Ospina. 


COSTA DO MARFIM: Com Didier Drogba e Yaya Touré como principais nomes, a Costa do Marfim busca o sonho de pela primeira vez chegar às oitavas de final da competição. Atualmente no Galatasaray, Drogba é a principal estrela da seleção marfinense. Mas a grande esperança está nas mãos, ou melhor, nos pés de Yayá Touré, um dos pilares do Manchester City, atual campeão inglês. 


ZEBRA: Japão pode buscar uma vaga. A seleção de Honda e Kagawa, na minha opinião, será a grande surpresa da Copa. Além desses jogadores de Milan e Manchester United, respectivamente, os laterais Atsuto Uchida, do Schalke-04, e Yuto Nagatomo, da Inter de Milão, somam qualidade ao elenco. Experiência também não irá faltar na luta para recolocar o time no mata-mata, como em 2002 e 2010. Dos 23 convocados, 12 atuam na Europa e 11 na liga nipônica. 


Uruguai coloca a camisa e o bom futebol em campo.
(Foto: AFP)

GRUPO D: Uruguai, Itália, Costa Rica, Inglaterra
FAVORITOS:
Uruguai, Inglaterra e Itália. ZEBRA: Costa Rica.

URUGUAI: Semifinalista da última Copa, o Uruguai manteve a base para tentar repetir a dose. Diego Forlán, melhor jogador da Copa de 2010, é um dos grandes nomes dessa seleção, que também conta com Edinson Cavani e Luis Suárez. Este último foi artilheiro e eleito o melhor jogador da Premier League, atuando pelo Liverpool. 

ITÁLIA: Acostumada a levantar esse título, a tetracampeã Itália passa por um mau momento. Em 2006, levou o troféu; em 2010, caiu na primeira fase. Apesar de ter se classificado para a Copa com facilidade, o elenco não passa confiança e é considerado velho. Os principais jogadores são Pirlo e Gianluigi Buffon, ambos da Juventus, e os dois com mais de 35 anos. Outro destaque é Mario Balotelli. O polêmico jogador de 23 anos é a esperança de gols italiana. 


INGLATERRA: Com o mesmo problema da Itália, a Inglaterra renovou o elenco que vem para o Brasil. Apenas seis jogadores têm experiência em Copas do Mundo. A ausência mais sentida entre os convocados é do experiente lateral Ashley Cole, de 33 anos. Roy Hodgson optou pelo jovem Luke Shaw, 18, do Southampton. Outros jovens jogadores também estão na lista. O meia Ross Barkley, 20, do Everton, e o atacante Raheem Sterling, 19, do Liverpool, ainda nem chegaram a cinco jogos com a camisa da seleção inglesa. A experiência fica por conta dos meias Frank Lampard, do Chelsea, e Steven Gerrard, do Liverpool, ídolos de seus clubes e da seleção.


ZEBRA: A Costa Rica dificilmente conseguirá estragar os planos de uma dessas seleções. Com um elenco limitado tecnicamente, apenas a força de vontade e a falta de inspiração dos rivais poderá ocasionar a classificação costarriquenha.



Ribéry é o grande nome da França, que precisa voltar a atuar como em outros tempos.
(Foto: Divulgação)

GRUPO E: Suíça, Equador, França, Honduras
FAVORITOS:
Suíça e França. ZEBRA: Equador


SUÍÇA: Esta seleção não está entre as oito do mundo por acaso. A Suíça foi a última equipe a vencer o Brasil, em amistoso realizado no ano passado. Seus principais jogadores são o meia Xherdan Shaquiri, do Bayern de Munique, e o lateral Lichsteiner, da Juventus. Outros jogadores também merecem ser lembrados, como o zagueiro Philippe Senderos, do Valencia, e o meia Valon Behrami, do Napoli. Behrami foi um dos grandes responsáveis pelo sucesso do clube italiano nesta ultima temporada. O atacante Haris Seferovic, 23 anos, da Real Sociedad, é a sensação dos suíços. O jovem talento é visto como uma joia e pode despontar no Mundial. Olho nele! 


FRANÇA: Esta seleção causa arrepios nos brasileiros. A sempre temida França, pra variar, se classificou nas repescagens e é uma seleção que merece respeito. Destaque para Ribéry, eleito o terceiro melhor jogador do mundo, e o atacante Benzema. Resta saber se essa seleção vai jogar bola ou repetir o papelão de 2010, quando sequer passou da fase de grupos. 


ZEBRA: Não seria espantoso se o Equador deixasse Suíça ou França para trás. Um dos mais experientes da seleção, Edison Méndez, que atualmente joga no Santa-Fé, tem um grande currículo. Além do prêmio de melhor jogador da América em 2009, também guarda passagens pelo futebol europeu e brasileiro, atuando pelo Atlético Mineiro em 2010.


Argentinos devem sobrar no grupo F.
(Foto: Divulgação)

GRUPO F: Argentina, Bósnia e Herzegovina, Nigéria, Irã
FAVORITA:
Argentina. ZEBRA: Bósnia e Herzegovina, Nigéria, Irã

ARGENTINA: O grupo parece fácil para a seleção de Messi e cia. Os hermanos têm tudo para fazer uma belíssima fase de grupos. Com concorrentes teoricamente fáceis, a seleção argentina tem qualidade para atropelar nesta primeira fase da Copa do Mundo. 


ZEBRAS: Sim, três azarões. Nem a Bósnia de Dzeko, do Manchester City, nem a Nigéria de Obi Mikel, do Chelsea, e muito menos o Irã, de Carlos Queiroz, treinador com passagens por Real Madrid e seleção de Portugal, causam medo em alguma grande seleção. A verdade é que, em qualquer confronto, nenhuma dessas é favorita. Mas, se for pra apostar, acredito que Nigéria passa.


A Alemanha é uma das favoritas ao título.
(Foto: Getty Images)

Grupo G: Alemanha, Portugal, Gana, Estados Unidos
FAVORITOS:
Alemanha e Portugal. ZEBRA: Gana e Estados Unidos


ALEMANHA: A Alemanha é, ao lado de Brasil e Espanha, a principal candidata ao título e deve passar sem muitos problemas em um dos grupos mais equilibrados do torneio. No papel, tem um dos melhores elencos. Apesar dos últimos amistosos não terem dado aquela certeza de uma boa Copa, todos temem o tradicional uniforme branco, amarelo, vermelho e verde. Mesmo com Schweinsteiger sendo dúvida para a lista final, no banco de reservas não faltam jogadores que possam substituí-lo à altura. Com sete jogadores do Bayern de Munique e seis do Borussia Dortmund, entrosamento não será problema. 


PORTUGAL: A seleção do melhor do mundo. Cristiano Ronaldo deseja essa Copa para provar a todos que é tão bom quanto Lionel Messi. Com uma seleção não tão qualificada quanto à do argentino, o Gajo jogará como nunca.

ZEBRA: Gana e Estados Unidos. Ambas estão no mesmo nível e com as mesmas chances. A melhor seleção africana da atualidade se destaca pelo porte físico e velocidade, característica de todas daquela região. Michael Essien, Sulley Muntari e Prince Boateng são os grandes nomes desta seleção. Já os Estados Unidos se transformaram desde a chegada de Klinsmann. O treinador e ex-craque alemão compactou o time norte-americano e fez o toque de bola e contra-ataques em velocidade serem a principal arma deste time. Landon Donovan vai disputar sua terceira Copa do Mundo. Ele é considerado por vários o melhor jogador da história do futebol dos EUA.


A Bélgica pretende ser a "sensação" da Copa.
(Foto: Getty Images)

GRUPO H: Bélgica, Argélia, Rússia, Coreia do Sul
FAVORITOS:
Bélgica e Rússia. ZEBRA: Coreia do Sul


BÉLGICA: De 2002, última Copa do time belga, eliminado pelo Brasil, a 2014, muita coisa mudou. E pra melhor. Atualmente, os principais belgas são considerados promessas do futebol mundial. Um exemplo é o jovem Hazard, um dos principais jogadores do Chelsea. Além dele, Lukaku, Fellaini e Kompany também estão no pacote. Essa seleção promete ser uma das sensações da Copa. 


RÚSSIA: O principal ingrediente está no banco de reservas: o treinador Fabio Capello. Apesar de ter um elenco limitado, a seleção russa aposta na inteligência do seu comandante e no orgulho russo para vencer. Dos 30 convocados, apenas um atua fora de seu país: o veterano atacante Paven Pogrebnyak, 30, que defende o Reading, da Inglaterra.


ZEBRA: A Coreia do Sul poderia ter disputado uma final de Copa do Mundo. Em 2002, ano em que sediou o torneio, a dona da casa surpreendeu e chegou entre as quatro melhores, mas foi eliminada pela Alemanha. Se mostrarem os jogos daquele ano para os jogadores, quem sabe surge uma inspiração e os coreanos surpreendam?


Nossa série "B.A. na Copa" segue nesta segunda-feira, detalhando o grupo A. Fique ligado.


Clique e confira todas as matérias da série "B.A. na Copa".

0 comentários :

Postar um comentário