sábado, 17 de maio de 2014

B.A. na Copa #6: Os pequenos

Na sexta matéria especial sobre a Copa do Mundo, vamos conhecer as equipes que não têm jogadores brilhando nos grandes centros e virão ao Brasil

De Aracaju.
Por Henrique Ferrera.

17/05/2014 - A sexta matéria do "B.A. na Copa" vem falar sobre as seleções que chegam ao Brasil sem holofote. Com a democratização nas vagas pelas eliminatórias mundo afora, muitas seleções desconhecidas, com jogadores brilhando em pequenos times da Europa ou nos seus campeonatos domésticos, têm a sua chance de aparecer quando chega o Mundial. Vamos conhecer os destaques destas seleções.


Austrália - Grupo B com Espanha, Holanda e Chile

Esqueça a geração de Kewell e Viduka. Os australianos que fizeram sucesso na década passada não fazem parte mais da seleção australiana, muito enfraquecida pelo tempo. O goleiro Mark Schwarzer, reserva de Cech no Chelsea, não é mais convocado, dando espaço para jovens como Langerak (reserva do Borussia Dortmund) e Ryan (do Club Brugge). O meio-campo ainda é o ponto mais forte da equipe, com os veteranos Cahill (ex-Everton) e Bresciano, além do volante Jedinak, do Crystal Palace. Surpresa foi a ausência de um dos bons jogadores jovens, o meia Robbie Kruse, que joga no Bayer Leverkusen.

Time-base: Ryan, Franjic, Spiranovic, Good e Davidson; Milligan e Jedinak; Leckie, Oar e Rogic; Cahill. Tec: Ange Postecoglou

Costa Rica - Grupo D com Inglaterra, Itália e Uruguai

A Costa Rica já se tornou presença constante em mundiais. Sempre com campanhas sólidas na CONCACAF, não tem a mesma sorte nas Copas, nem a perspectiva de que isso mude. O destaque da equipe ainda é o atacante Bryan Ruiz, mesmo após a temporada apagadíssima dividida entre Fulham e PSV. Em compensação, o goleiro Keylor Navas foi um dos destaques da Liga Espanhola defendendo o Levante. Joel Campbell, do Arsenal e emprestado ao Olympiakos, é a grande promessa da equipe pro futuro. Oviedo, lateral do Everton, está fora da competição, mas Junior Díaz promete substitui-lo à altura.

Keylor Navas é um dos melhores goleiros da Liga Espanhola.
(Foto: Getty Images)

Time-base: Keylor Navas, Gamboa, Umaña, González e Miller; Borges, Tejeda, Júnior Díaz e Ureña; Bryan Ruíz e Campbell. Tec: Jorge Luis Pinto

Honduras - Grupo E com França, Suíça e Equador

Honduras é uma seleção fraca, como já demonstrou ao ser atropelada pelo Brasil em amistoso. Apesar de frágil, tem alguns jogadores consolidados em grandes mercados. Maynor Figueroa joga na Premier League já faz várias temporadas, assim como Espinoza, volante do Wigan. Izaguirre também faz bons jogos pelo Celtic, Andy Najar é uma revelação vinda dos EUA e Boniek é um jogador importante na MLS. Apesar disso, nenhum deles tem a capacidade de ser útil a um grande time europeu.

Time-base: Valladares, Figueroa, Williams, Bernárdez e Izaguirre; García, Claros, Peralta e Najar; Palacios e Bengtsson. Tec: Luís Fernando Suárez

Irã - Grupo F com Argentina, Bósnia e Nigéria

O Irã provavelmente vem ao Brasil como a seleção mais fraca entre as 32 participantes. O meia Ashkan Dejagah, do Fulham, foi uma das raras boas peças na péssima temporada da equipe e vem como o principal destaque iraniano. Juntamente com ele, Shojaei, que fez boa temporada pelo Las Palmas na Série B espanhola, faz a dupla ofensiva do meio-campo. O resto do time são jogadores com pouquíssima relevância.

Irã tenta não ser o pior time da Copa do Mundo.
(Foto: EFE)

Time-base: Davari, Pooladi, Montazeri, Sadeghi e Hosseini; Hadadifar, Shojaei, Jabari e Nekounam; Ghoochannejhad e Dejagah. Tec: Carlos Queiroz

Argélia - Grupo H com Bélgica, Rússia e Coréia do Sul

Pouco badalada, a Argélia promete surpreender, senão em 2014, em 2018. Com vários jogadores sub-23 promissores, como Brahimi, Boudebouz, Taïder, Mandi, Ghilas e Belfodil, a Argélia vai colhendo os frutos do seu trabalho de base. Também com 23 anos, está o melhor deles: Sofiane Feghouli, o craque da seleção, que defende as cores do Valencia. E duas gerações abaixo, Bentaleb, que apareceu no profissional do Tottenham com Tim Sherwood. Apesar de tudo, a defesa ainda não segue o padrão do resto do time e é muito frágil.

Time-base: Zemmamouche, Mandi, Cadamuro, Bougherra e Ghoulam; Mostefa, Taïder e Bentaleb; Feghouli, Slimani e Soudani. Tec: Vahid Halilhodzic

A partir deste domingo, começaremos a analisar os grupos da Copa do Mundo aqui na série "B.A. na Copa". Fique ligado.

Clique e confira todas as matérias da série "B.A. na Copa".

0 comentários :

Postar um comentário