terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Pelo topo da América

Edição 2014 da Libertadores começa hoje. Confira detalhes dos grupos e a tabela da primeira rodada

De Belo Horizonte.
Por Vinícius Silveira.

11/02/2014 - A terça-feira é dia de abertura da fase de grupos de mais uma edição da Taça Libertadores da América, competição continental mais importante do nosso continente. Entre tantas outras atrações, boas formações e expectativa de grandes espetáculos, o campeão receberá pouco mais de 12 milhões de reais. O maior vencedor do torneio é Independiente da Argentina, com sete conquistas. No futebol brasileiro, destacam-se Santos e São Paulo, cada um com três conquistas. O atual campeão é do futebol canarinho. O Atlético Mineiro, que bateu o Olímpia do Paraguai na final do ano passado, conquistou sua primeira Libertadores. Confira os times e os grupos desta edição (e a tabela da primeira rodada no fim da página).

Furacão, do zagueiro Manoel, nos últimos preparativos para a estreia na Libertadores. 
(Foto: Fabio Wosniak/Site oficial do Atlético Paranaense)

Grupo 1 - Atlético-PR, The Strongest-BOL, Universitário-PER e Vélez Sarsfield-ARG

Logo no primeiro grupo, o Atlético representa a nação rubro-negra do Paraná. A equipe chegou à competição após ficar em terceiro lugar no Campeonato Brasileiro do ano passado e se classificou para a fase que chamamos de Pré-Libertadores. Eliminou nas penalidades o Sporting Cristal-PER (2 a 1 nos dois jogos) e figurou na fase grupal. A melhor participação do Furacão foi em 2005, onde a equipe chegou à final, mas parou diante do São Paulo.

O time é comandado pelo espanhol Miguel Ángel Portugal e tem um elenco mediano, sem nenhuma grande estrela. A equipe não é considerada favorita no grupo, mas é capaz de bater de frente com The Strongest e Universitário. A tradição do futebol da Argentina com o Vélez Sarfield pode ser um complicador, mas os brasileiros também não deixam nada a dever aos hermanos.

O boliviano The Strongest e o peruano Universitário são times que têm diversas participações na Libertadores, mas nenhuma grande campanha para se orgulhar, diferentemente do argentino Vélez Sarsfield, que já conquistou uma taça no ano de 1994 ao vencer o São Paulo, além de outras participações bem destacadas em diversas edições da competição internacional.

O Botafogo está de volta à Libertadores.
(Foto: Vitor Silva/SSPress/Divulgação Botafogo)

Grupo 2 - Botafogo, Independiente del Valle-EQU, San Lorenzo-ARG e Unión Española-BOL

O Botafogo está de volta à Taça Libertadores. Participante nas edições de 1969, 1973 e 1996, a equipe de General Severiano não chegou a fazer nenhuma grande campanha no torneio, mas é forte candidato a chegar às fases eliminatórias neste ano. O time carioca se qualificou para a competição após classificar-se em quarto lugar no Campeonato Brasileiro e eliminar o Deportivo Quito, do Equador, na fase eliminatória.

O time botafoguense tem como técnico o jovem Eduardo Húngaro. Aposta da diretoria alvinegra, Húngaro conta com um bom elenco. Tinha, até pouco tempo, o holandês Seedorf, mas o camisa 10 decidiu aposentar-se e virou treinador do Milan. O elenco ganhou reforços de peso como os paraguaios Ferreyra, vice-campeão da Libertadores em 2013 com o Olímpia, e Zeballos, além de outros reforços como Wallyson, atacante que já foi artilheiro da competição pelo Cruzeiro. É uma formação que promete dar trabalho aos adversários, mas pouco confiável em questão de título.

O Independiente del Valle é totalmente inexperiente e desconhecido da grande torcida. O Unión Española também não tem grandes feitos dentro do torneio. O máximo que alcançou foram as quartas de final em 1994, quando foi eliminado pelo São Paulo. O argentino San Lorenzo pode ser um complicador para as pretensões brasileiras. É um time que tem como ponto forte jogar em sua casa.

Grupo 3 - Cerro Porteño-PAR, Deportivo Cali-COL, Lanús-ARG e O'Higgins-CHI

Um dos grupos mais equilibrados desta Libertadores talvez seja este. Com três fortes times e um desconhecido, esta chave pode apresentar muito equilíbrio até seu final. O Cerro Porteño está sobrando no Campeonato Paraguaio. Atualmente é o líder do torneio clausura com 50 pontos, 11 a mais que o vice-líder, o Libertad. O Lanús também passa por um bom momento na Argentina. Foi vice-campeão do torneio apertura e está para estrear no clausura. Além disso, é o atual campeão da Copa Sul-Americana derrotando a Ponte Preta, e fará a decisão da Recopa Sul-Americana contra o Atlético-MG.

O Deportivo Cali não vive um grande momento no Campeonato Colombiano. É o lanterna do torneio apertura e ainda não somou pontos nos quatro jogos que disputou. Sua melhor participação foi em 1978, quando foi vice-campeão ao perder para o Boca Juniors-ARG. O O'Higgins é um jovem time chileno ainda sem grandes expressões internacionais. Poderá ser apenas um mero participante, mas terá chances de provar o contrário, já que é o atual vice-líder do Campeonato Chileno.

Ronaldinho é a arma do Galo na busca pelo bi da América.
(Foto: Bruno Cantini/Divulgação Atlético)

Grupo 4 - Atlético-MG, Nacional-PAR, Independiente Santa Fé-COL e Zamora-VEN

O atual campeão da Taça Libertadores da América está no grupo 4. O Atlético é um dos favoritos à classificação para a próxima fase do torneio. O elenco ainda é o mesmo do ano passado, sem grandes reforços e saídas de jogadores. Se reforçou apenas com dois jogadores, o lateral esquerdo Pedro Botelho e o volante Claudinei. Além disso, jogadores que estiveram emprestados em outros clubes receberão oportunidades do atual treinador Paulo Autuori.

No ano passado, a descrença do torcedor tornou-se alegria incontida dos atleticanos que vibraram com a inédita conquista da Libertadores 2013. O Galo teve que tirar da alma a raça e o amor, além da força de vingador, para vencer o Olímpia-PAR nos pênaltis depois de perder em Assunção por 2 a 0 e devolver o placar no Mineirão, em Belo Horizonte. Nas penalidades, vitória por 4 a 2 e o título tão esperado. Na semifinal, havia feito o mesmo contra o Newell's Old Boys-ARG e, nas quartas, Victor pegou pênalti aos 47 do segundo tempo para evitar a eliminação no Horto para o Tijuana-MEX.

O Nacional do Paraguai vive um bom momento em sua história. Após ficar mais de 60 anos sem títulos, venceu o Campeonato Paraguaio em 2009. Além disso, desde 2005 vem disputando diversas edições do torneio. O Independiente Santa Fé disputará de forma equilibrada com o adversário paraguaio. O venezuelano Zamora é o desconhecido da grande torcida e poderá mostrar seu futebol a nível internacional.

Sob o comando de Marcelo Oliveira, Cruzeiro quer voltar ao topo da América.
(Fotos: Washington Alves/Light Press/Divulgação Cruzeiro)

Grupo 5 - Cruzeiro, Defensor-URU, Real Garcilaso-PER e Universidad de Chile

No grupo 5 está o atual campeão brasileiro. O Cruzeiro, bicampeão da Libertadores, em 1976 e 1997, além de dois vices-campeonatos, em 1977 e 2009, entra como forte favorito em sua chave, além de ter expressiva preferência entre os apostadores de quem levará a taça de campeão. O time celeste tem todos os jogadores campeões nacionais do ano passado, além de reforços pontuais como Marlone, ex-Vasco, e o boliviano Marcelo Moreno, que chegou do Flamengo por empréstimo junto ao Grêmio.

O técnico Marcelo Oliveira tem um elenco bem formado dentro e fora de campo, o que faz com que a equipe renda seu melhor futebol. Além de contar com uma variação tática invejável dentro do jogo, também conta com jogadores capazes de desequilibrar dentro de campo, desde o goleiro Fábio até o centroavante Borges. Este último está lesionado, mas deverá voltar em breve.

Brigarão pela segunda vaga no grupo o uruguaio Defensor, mesmo sem realizar uma grande campanha no torneio apertura de seu país, o Real Garcilaso-PER, equipe em ascensão no futebol peruano e sempre presente em torneios da Conmebol, e a Universidad de Chile, sexta colocada no Campeonato Chileno.

O Grêmio é outro que vem forte para a Libertadores.
(Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA)

Grupo 6 - Grêmio, Nacional de Medellín-COL, Nacional-URU e Newell's Old Boys-ARG

Certamente, o Grêmio caiu na chave mais forte da Libertadores 2014, o chamado "grupo da morte". O time comandado pelo técnico Enderson Moreira, um dos melhores da nova safra de treinadores no Brasil, terá uma difícil de tarefa ao bater de frente com grandes forças do futebol sul-americano. A equipe gremista tem bons valores em seu elenco como goleiro Marcelo Grohe, o meia Zé Roberto e o atacante argentino Barcos, que parece ter se reencontrado com os gols.

O Grêmio tem grande tradição na Taça Libertadores da América. Tem dois títulos conquistados em 1983, diante do Peñarol-URU, e em 1995, batendo o Nacional de Medellín-COL. Além de um vice-campeonato em 2007, ao perder em casa para o tradicionalíssimo Boca Juniors-ARG, de Juan Román Riquelme.

Brigarão por vagas na fase de oitavas de final o Nacional de Medellín-COL, que é uma equipe de muita força no futebol colombiano, atual vice-líder do campeonato local; o Nacional-URU, terceiro colocado no torneio apertura do Uruguai, apenas atrás de Danúbio e River Plate; e Newell's Old Boys, quarto colocado no clausura da Argentina, além de ter chegado às semifinais da Libertadores de 2013, onde parou diante do Atlético-MG.

Elano é uma das novidades do Flamengo em 2014.
(Foto: Alexandre Vidal/Fla Imagem)

Grupo 7 - Bolívar-BOL, Emelec-EQU, Flamengo e León-MEX

Por si só, o Flamengo impõe respeito. E com sua grande torcida, aliada à sua história mais que centenária, o clube carioca busca fazer bonito na Libertadores. O rubro-negro venceu a edição de 1981, quando bateu os chilenos do Cobreloa-CHI em três partidas, e definiu com um 2 a 0 em campo neutro. O elenco de Zico, Nunes, Raúl, Adílio e Tita, entre outros, ainda chegou ao título mundial no mesmo ano.

Em 2014, o técnico Jayme de Almeida conta com um elenco sem grande estrelas, tendo visto a condição financeira do clube. No ataque, esperança depositada no centroavante Hernane, o Brocador, além da experiência do goleiro Felipe e do lateral Leonardo Moura.

O Bolívar-BOL nunca fez grandes participações na Libertadores, mas sempre complicou seus adversários quando o assunto era altitude. O Emelec do Equador também briga em condições iguais com os bolivianos. Sem esquecer do León, do Mexico, pois ficou em segundo lugar no torneio apertura do Campeonato Mexicano em 2013.

Grupo 8 - Arsenal de Sarandí-ARG, Deportivo Anzoátegui-VEN, Peñarol e Santos Laguna-MEX

O Arsenal de Sarandi volta à Libertadores após uma campanha bastante irregular em 2013. Entre outros resultados, perdeu para o Atlético-MG por 5 a 2 na Argentina e em Belo Horizonte. Ficou ainda na primeira fase. Atualmente, é o quinto colocado no torneio clausura do Campeonato Argentino. O Deportivo Anzoátegui entra no torneio após ter chegando entre os três primeiros na Venezuela.

O tradicional Peñarol entra como forte candidato a uma das vagas à fase eliminatória. O time das cores amarela e preta tem uma forte camisa, que impõe respeito, e será um grande adversário a ser batido, mesmo sendo o atual oitavo colocado no torneio apertura do Campeonato Uruguaio. O Santos Laguna está de volta à Libertadores após 10 anos. Em 2004, classificou-se em segundo lugar, apenas atrás do Cruzeiro, mas foi eliminado pelo River Plate-ARG ainda nas oitavas de final. O time mexicano foi campeão do México no último ano e isto o credenciou a disputar mais uma edição do torneio sul-americano.

Jogos da primeira rodada da Libertadores 2014 (horário de Brasília):
Grupo 1:
Quarta (12), à 0h30: Universitário x Vélez
Quinta (13), às 20h: Atlético-PR x The Strongest

Grupo 2: 
Terça (11), às 20h: Botafogo x San Lorenzo
Terça (18), às 22h30: Independiente del Valle x Unión Española

Grupo 3: 
Quinta (13), à 0h15: Deportivo Cali x Cerro Porteño
Quinta (13), às 22h15: Lanús x O'Higgins

Grupo 4: 
Terça (11), às 22h15: Zamora x Atlético-MG
Quarta (12), à 0h30: Santa Fé x Nacional-PAR

Grupo 5: 
Quarta (12), às 22h: Real Garcilaso x Cruzeiro
Quinta (13), às 20h: Universidad de Chile x Defensor

Grupo 6: 
Quinta (13), às 22h15: Nacional x Grêmio
Sexta (14), à 0h30: Nacional de Medellín x Newell's

Grupo 7: 
Quarta (12), às 22h: León x Flamengo
Sexta (14), à 0h30: Emelec x Bolívar

Grupo 8: 
Terça (11), às 22h15: Santos Laguna x Arsenal
Quarta (12), às 19h45: Deportivo Anzoátegui x Peñarol

0 comentários :

Postar um comentário