sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Super Bowl XLVIII: Muralha intransponível

Seattle Seahawks chega ao Super Bowl XLVIII com uma defesa muito sólida e um dos melhores RBs da liga

De Aracaju.

Por Henrique Ferrera.

31/01/2014 - O próximo domingo (2) é o dia mais aguardado do ano para os fãs da NFL. No MetLife Stadium, em Nova York, será disputado o Super Bowl XLVIII. Aqui no Boleiros da Arquibancada, você vê o raio-x dos dois finalistas. O representante da NFC será o Seattle Seahawks, que ao lado de uma linha defensiva muito bem montada, tem um quarterback promissor e um excepcional running-back. Será que a defesa dos Seahawks consegue parar o ataque fulminante dos Broncos e levantar o Vince Lombardi?



Richard Sherman causa polêmica nas suas declarações, mas é eficiente em campo.
(Foto: AP/Elaine Thompson)

A temporada


Seattle terminou a temporada com 13 vitórias e 3 derrotas, conquistando a divisão NFC Oeste e a vantagem de jogar em casa durante os playoffs. A equipe marcou 417 pontos durante a temporada, enquanto cedeu apenas 231.



O ataque foi liderado pelo quarterback segundanista Russell Wilson, uma escolha de terceira rodada do draft que imediatamente assumiu o protagonismo, levando a equipe à uma vitória de playoff em sua temporada de estreia. Ele terminou sua segunda temporada completando 63,1% dos seus passes para 3357 jardas e 26 touchdowns, com apenas nove interceptações, e ao mesmo tempo correu para 539 jardas e mais um TD. Seu rating de 101.2 nos passes o classificou como 7º melhor na NFL, e o fez ser o primeiro quarterback na história com um rating de três dígitos em suas primeiras duas temporadas. Seu alvo preferido foi o receiver ProBowler, Golden Tate, que pegou 64 passes para 898 jardas e 5 touchdowns. 

Tate também foi um trunfo importante nos times especiais, retornando 51 punts para 585 jardas (2º na NFL). Outros alvos-chaves foram Doug Baldwin (50 recepções, 775 jardas, cinco touchdowns) e o tight-end Zach Miller (33 recepções, 387 jardas, cinco touchdowns). O running-back ProBowler, Marshawn Lynch, foi o corredor mais efetivo da equipe com 1257 jardas e 12 touchdowns. Ele também foi um receptor confiável, recebendo 36 passes para 316 jardas e mais dois TDs. A linha ofensiva do Seahawks foi liderada pelo center Pro Bowler, Max Unger. O kicker Steven Hauschka foi o quarto melhor na NFL em pontuação (143 pontos) e segundo em aproveitamento nos field goals (94,3%, 33/35).

Seattle teve a melhor defesa da NFL, liderando com a menor quantidade de jardas cedidas por jogo (273,6) e menos pontos permitidos (231). A linha defensiva de Seattle contou também com os destaques dos defensive-ends Cliff Avril e Michael Bennett, com oito sacks de cada. Avril também forçou cinco fumbles, enquanto Bennett recuperou três, retornando-os para 39 jardas e um touchdown. O defensive-tackle Clinton McDonald também teve um grande impacto com 5,5 sacks, dois fumbles recuperados, e uma interceptação. O linebacker Bobby Wagner liderou o time em tackles (120), e também provocou cinco sacks e duas interceptações. Mas o melhor aspecto de sua defesa foi sua secundária - coletivamente chamada da "Legião de Boom" - que mandou três de seus quatro titulares para o Pro Bowl: o cornerback Richard Sherman, que liderou a NFL em interceptações (oito, com 125 jardas retornadas), juntamente com o free-safety Earl Thomas (cinco interceptações, 105 tackles, dois fumbles forçados) e o strong-safety Kam Chancellor (99 tackles, três interceptações, 78 jardas retornadas).


O ponto forte


A linha defensiva dos Seahawks é tão forte que seus jogadores mais efetivos - Cliff Avril e Michael Bennett -, teoricamente, são reservas da linha formada por Red Bryant, Tony McDaniel, Brandon Mebane e Chris Clemons. O grande trunfo dessa defesa é rotacionar os jogadores sem que haja um decréscimo de qualidade. A mesma coisa acontece com os três linebackers, que ainda tem o bom K.J. Wright na reserva. A secundária também conta com ótimas opções, pois Byron Maxwell era reserva até a suspensão de Brandon Browner, e a qualidade não caiu. Além, é claro, do excepcional (e falastrão) Richard Sherman.


No ataque, Russell Wilson é um QB promissor, com uma mão boa e efetivo correndo com a bola, mas o grande destaque é o running-back Marshawn Lynch. Lynch é um RB de extrema força física, e com isso consegue avançar muitas jardas mesmo após o contato, fazendo estrago com as linhas ofensivas.

0 comentários :

Postar um comentário