domingo, 26 de janeiro de 2014

Pela primeira vez

Contra um Nadal 'baleado', Wawrinka sua, mas conquista seu primeiro Australian Open


De Belo Horizonte.
Por João Vitor Cirilo.

26/01/2014 - Quando Rafael Nadal, perdendo por 1 a 0 e em desvantagem no segundo set, saiu de quadra para solicitar atendimento e retornou com movimentos limitados, muitos imaginaram que o espanhol abandonaria o jogo ao término daquela parcial. Só que estamos falando do tenista número 1 do mundo. Stanislas Wawrinka, o número 8, dominava até aquele momento, mas passou por uma guerra mental a partir do terceiro set. Nadal não conseguia nem sacar direito e continuaria no jogo? Não só continuaria como também venceria um set! Porém, não teve jeito. Esse Australian Open era de Stan. O suíço venceu a decisão deste domingo em Melbourne por 3 sets a 1, com parciais de 6/3, 6/2, 3/6 e 6/3, e garantiu seu primeiro Grand Slam da carreira.

Wawrinka venceu seu primeiro Grand Slam.
(Foto: Ben Solomon/Tennis Australia/Divulgação Australian Open)

A partir de amanhã, no ranking anunciado pela ATP, Wawrinka será o novo número 3 do mundo e o novo número 1 da Suíça, ultrapassando o monstro Roger Federer, atual número 6 do mundo. Stan vive seu melhor momento na carreira, aos 28 anos de idade. Até a partida de hoje, em 12 duelos, Wawrinka não havia vencido um set sequer contra Nadal. As coisas mudaram. Para o espanhol, fica a imagem de um exemplo para o esporte, de um cara que luta até o fim, mesmo jogando no sacrifício. Nadal não saiu de quadra derrotado, apesar do resultado final. Vida que segue e, no próximo ano, ele tentará novamente se tornar o primeiro na Era Aberta a vencer os quatro Slams pelo menos duas vezes na carreira. Falta um Aberto da Austrália.

No jogo de hoje, domínio total de Wawrinka em winners (53 a 19) e em aces (19 a 1). O primeiro serviço do suíço não entrou da forma desejada (55%), mas não o prejudicou demais. Em erros não forçados, 49 a 32 para Wawrinka.

Wawrinka começa atropelando

Ao contrário de Nadal, Wawrinka tinha dificuldades para encaixar seu primeiro serviço. Entretanto, se virava bem com o segundo e ia bem no fundo de quadra. Pra melhorar, o suíço, que veio bem agressivo, quebrou serviço de Nadal no quarto game, abrindo 3/1. Teve break point no quinto, mas Rafa se recuperou. Com Wawrinka sacando para o set no nono game, Nadal resolveu mostrar seu jogo. Abriu 0-40, mas o saque do suíço o salvou, como em muitas oportunidades neste torneio. Nadal errou quatro devoluções e tomou a virada. Wawrinka fechou em 6/3.

Wawrinka manteve o embalo e fez ótimo primeiro game no segundo set, quebrando saque de Nadal com um 0-40. Nadal foi pressionado no terceiro game, mas conseguiu confirmar o serviço, solicitou atendimento e foi para o vestiário, devido a um problema nas costas. Wawrinka ficou irritado porque o árbitro não lhe informou sobre o problema do adversário. Aí já começariam os problemas, vistos na parcial seguinte. Após sete minutos, quando Nadal voltou, lamentavelmente sob vaias de parte do público, ele realmente não estava bem. Sem conseguir impor seu saque, claramente limitado pela lesão nas costas, tomou outra quebra e foi facilmente dominado por Stan, que fechou em 6/2.

Problema físico de Nadal praticamente eliminou suas chances de título.
(Foto: Ben Solomon/Tennis Australia/Divulgação Australian Open)

Montanha russa mental

No intervalo, Nadal foi novamente atendido, dessa vez na quadra. Ele fazia caretas, quase que chorava, mas resolveu seguir, na raça. E não é que o espanhol abriu 3/0? Wawrinka errava muito, desconcentrado. Cheio de confiança, Rafa manteria a vantagem e fecharia o terceiro set em 6/3. 

E o quarto set foi lá e cá. Nadal recusou atendimento do fisioterapeuta ao intervalo e mostrou já estar um pouco melhor. Do outro lado, Wawrinka era quem precisava se recuperar, mas não fisicamente, e sim mentalmente. Ele vivia uma guerra mental, talvez abalado pelo fato de seu adversário, praticamente "baleado" e fora do jogo, retornar bem. No sexto game, Wawrinka conseguiu quebrar, abrindo 4/2, mas Nadal devolveu logo depois. A cabeça do suíço parecia mesmo uma montanha russa. Ele conseguiu outra quebra na sequência e sacou para seu primeiro Grand Slam, fechando o quarto set em 6/3 e o jogo em 3 sets a 1.

Logo mais, aqui no Boleiros da Arquibancada, você poderá conferir a 14ª edição da coluna "Nas quadras da Austrália", com os destaques finais do Australian Open.

0 comentários :

Postar um comentário