quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Festa caseira

Com gol nos acréscimos, Raja Casablanca bate Auckland City, se classifica no Mundial e faz a festa no Marrocos

De São Paulo.
Por Eduardo do Carmo.

11/12/2013 - Não foi fácil, mas o anfitrião Raja Casablanca garantiu vaga nas quartas de final do Mundial de Clubes da FIFA, realizado no Marrocos. Diante do Auckland City, nesta quarta-feira, a equipe marroquina venceu o duelo de playoff por 2 a 1, no Stade Adrar, em Agadir, e enfrenta o Monterrey do México na próxima fase.

Jogadores do Raja Casablanca comemoram classificação em Agadir.
(Foto: Reuters)

O espetáculo teve início logo na cerimônia de abertura com danças tradicionais do Marrocos. Na sequência, o show ficou por conta da torcida do Raja, que fez uma bonita festa. Nelson Mandela foi homenageado antes da bola rolar.

Com os times em ação, o Raja Casablanca dominou a primeira etapa e abriu o marcador com Iajour. O Auckland City sentia muita dificuldade e pouco chegava no campo ofensivo. O segundo tempo começou da mesma forma, mas um vacilo da zaga marroquina permitiu o empate do City. Roy Krishna aproveitou a bobeada e deixou tudo igual. O gol foi um golpe quase fatal para o Raja, que pouco fez no restante da etapa final. Quando a partida se encaminhava para a prorrogação, Hafidi balançou a rede adversária e definiu o duelo.

Com o resultado positivo, o Raja Casablanca enfrenta o Monterrey no próximo sábado (14), às 17h30 (horário de Brasília), novamente em Agadir. O vencedor deste embate encara o Atlético-MG na semifinal. No outro lado da chave, às 14h do mesmo dia, Al Ahly e Guangzhou Evergrande buscam vaga para a outra semi contra o Bayern de Munique.

Domínio e alegria marroquina

O Raja chegou no ataque pela primeira vez aos 6 minutos. Karrouchy apareceu livre, mas finalizou para fora. A equipe da casa tinha domínio da posse de bola, porém esbarrava na retranca do Auckland. Aos 21, mais uma chance dos Diabos Verdes. Moutaoauli encontrou Iajour livre. O atacante saiu na cara do goleiro Williams, que salvou o chute.

Aos 38, Iajour teve nova oportunidade e dessa vez não desperdiçou. Recebeu passe de Karrouchy e mandou de primeira para a rede: 1 a 0. Na única chegada do Auckland, aos 45, Cristobal foi derrubado na área, mas o árbitro mandou o lance seguir.

Na volta do intervalo, quase saiu o segundo gol do Raja. Aos 6, Moutaoauli bateu forte e acertou a trave de Williams. O time local continuou com a posse de bola no estilo Barcelona, mas não criou muito perigo. Do lado do Auckland, os zagueiros tentavam lançamentos diretos para os atacantes, mas sem sucesso.

Vacilo, empate e estádio silencioso

Em um dos chutões do Auckland, a zaga do Raja bateu cabeça e Krishna ficou com a sobra. O atacante avançou, ficou cara a cara com o goleiro e colocou na saída: 1 a 1. Nesse momento, a torcida do Raja, que não havia parado em nenhum momento, diminuiu o ritmo.

A equipe de Casablanca sentiu muito o empate e também desacelerou. O Auckland adiantou a marcação e dificultou as ações do adversário.

Pressão, sofrimento e classificação

Nos minutos finais, o Raja foi para o tudo ou nada e pressionou o City. O Auckland segurou e afastou todos os perigos até os 47, quando o estádio de Agadir explodiu em felicidade. Moutaoauli fez ótima jogada e tocou para Karrouchy, que bateu cruzado para cabeçada de Erraki. O goleiro Williams espalmou e, na sobra, Hafidi soltou a bomba.

Era só o que faltava para os animados adeptos do Raja Casablanca fazerem a festa. A torcida considerada mais vibrante da África tirou a angústia e deu espaço para a festa.

0 comentários :

Postar um comentário