segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Feliz "Grêmio Novo!"

De Belo Horizonte.
Por Arthur Möller.

23/12/2013 - A diretoria do Grêmio iniciou muito bem o planejamento para 2014 ao contratar Enderson Moreira, treinador de excelente desempenho nas duas últimas temporadas à frente do Goiás. Além de custar menos cifras aos cofres tricolores, Enderson é um profissional emergente, que ainda busca espaço entre os principais técnicos do futebol brasileiro. Isso geralmente significa muito trabalho, e pouco "estrelismo".

Outro acerto foi a liberação do goleiro Dida, de 40 anos, que pelo fato de ter tido bom desempenho em 2013, esqueceu-se que está em fim de carreira e pediu uma valorização financeira para permanecer no clube. Sendo assim, o injustiçado Marcelo Grohe, de 26 anos, terá nova oportunidade. Grohe, inclusive, esteve muito perto de reforçar outras equipes da primeira divisão nacional, no ano que se encerra.

A zaga talvez seja o setor que gere mais preocupação à diretoria e aos torcedores. Pedro Geromel, de 28 anos, pode ser anunciado como novo reforço nos próximos dias. O zagueiro atua no Mallorca, clube da segunda divisão do futebol espanhol. Sinceramente, não o conheço. Porém, recorri ao Youtube e assisti alguns vídeos de Geromel. Confesso que gostei do que vi, porém, prefiro confiar em Rui Costa, diretor-executivo do Grêmio, que se declarou seguidor da carreira do jogador.

Entretanto, é necessário "segurar" Rhodolfo, zagueiro contratado por empréstimo junto ao São Paulo, no segundo semestre de 2013. O defensor deu estabilidade e segurança a uma zaga atabalhoada e carente de um "xerife". A meu ver, a contratação do volante Edinho, ex-Inter e Fluminense, foi acertada. Por mais que não seja unanimidade entre os gremistas, o experiente jogador possui características que há tempos não vejo no Grêmio: garra, espírito de liderança e muita entrega dentro de campo.

Entre armadores e atacantes, a diretoria tricolor ainda não se definiu. Apesar da indefinição, "medalhões" como Elano, Zé Roberto, Barcos e Marcelo Moreno figuram na lista dos "jogadores negociáveis". Pelo fato de não terem rendido títulos ao Grêmio nas duas últimas temporadas, o custo-benefício foi posto à mesa, e os atletas citados tornaram-se "moedas de troca". E por mais que eu defenda a manutenção de alguns destes nomes no elenco - Elano, Zé Roberto e Marcelo Moreno, para ser mais específico -, entendo o posicionamento dos gestores gremistas, que pretendem enxugar a folha salarial do clube, no intuito de resgatar o equilíbrio financeiro. Ou seja, a "casa" está sendo posta em ordem, novamente.

Foto: Flickr Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense

0 comentários :

Postar um comentário