domingo, 24 de novembro de 2013

Irregular, mas campeão

Seleção brasileira masculina de vôlei abre 2 sets a 0, deixa Itália empatar, mas vence tie-break e conquista a Copa dos Campeões

De Belo Horizonte.
Por João Vitor Cirilo.

24/11/2013 - Talvez a grande preocupação do técnico Bernardinho e do torcedor brasileiro fosse que a seleção brasileira masculina de vôlei sentisse mais uma derrota para a Rússia. O resultado do sábado (23) não estava no planejamento. Bastava uma vitória para o time verde e amarelo levantar em Tóquio o seu quarto caneco da Copa dos Campeões, o terceiro em sequência. Não deu. Então, ficou para este domingo. Duelo contra a Itália, seleção forte. Nosso time começou bem, e assim como no jogo contra os russos, abriu 2 sets a 0, e pareceu que iria encaminhar o título com tranquilidade. Não foi. O Brasil foi instável terceiro set, não se impôs na quarta parcial, e pagou por isso. Entretanto, no quinto set, apesar de também alternar momentos ruins e outros de melhor seleção do mundo, conseguiu fechar a partida por 3 sets a 2 e garantiu mais um título.

As parciais do jogo da madrugada deste domingo foram de 25/22, 25/22, 23/25, 20/25 e 15/11. Com 28 pontos, Wallace foi o maior pontuador do time e da partida. Lucão, que fez 21, foi escolhido o melhor da final. Zaytsev foi o principal pontuador da seleção italiana, com 27. Além de 2013, o Brasil também foi o vencedor da Copa dos Campeões nos anos de 1997, 2005 e 2009.

Com a vitória brasileira, Rússia (8 pontos) e Estados Unidos (6), em quadra a partir das 4h10 (de Brasília), duelam apenas pela medalha de prata, já que o Brasil chegou a 12 pontos. Às 7h10, é a vez de Japão e Irã fecharem o campeonato.

Foto: Divulgação/FIVB

Quando a bola subiu...

Depois de mais uma derrota para a Rússia (maldita pedrinha no sapato), o Brasil demorou a engrenar na "final" contra a Itália. Encontrou o equilíbrio em Wallace, principal atacante da equipe. Por sorte, o saque italiano não entrou, a equipe brasileira conseguiu fazer seu jogo e fechou o primeiro set em 25 a 22.

Aí veio o segundo set. Brasil no controle. O trabalho de saque era bem executado, e o bloqueio também encaixou. Era só deixar o jogo correr e manter o nível de concentração, até porque, do outro lado, o índice de erros era alto. Os europeus viviam noite discretíssima. Bruno, levantador brasileiro, era o oposto disso. Dava show, com lances plásticos. Porém, o Brasil se desconcentrou no fim da parcial, relaxou e a Itália foi encostando. Bernardinho teve que gastar seus dois pedidos de tempo para evitar o pior. No fim, 2 sets a 0, e vitória brasileira por 25 a 22.

O Brasil começou abrindo boa vantagem no terceiro set (6 a 3), mas algo dizia que as coisas poderiam não terminar bem. A queda de rendimento desde o fim da parcial anterior era clara. O time era instável na recepção e saque, mas a Itália não conseguia abrir vantagem considerável. Ficava ali, com um, dois pontos de frente. Sorte nossa. A seleção brasileira, que ficou atrás por um bom tempo, chegou a virar em 22 a 20, mas caiu novamente e cedeu um set à Itália, que venceu por 25 a 23.

Foto: Divulgação/FIVB

Quarto set e o Brasil ainda só dependia de si. Era só fazer o seu jogo, com confiança. Mas o que se viu foi um quadro bem parecido com o do set anterior. A Itália ficou à frente durante um bom tempo. Bernardinho tentou mexer no time, colocando Chupita e Éder nos lugares de Maurício e Sidão. A prova da falta de confiança foi o saque de Lucão, que tirava o peso da bola, fugindo da sua própria característica. Faltava intensidade. A Itália agradecia. Lipe, o Chupita, foi para o saque com o Brasil em desvantagem de quatro pontos. Conseguiu dois aces seguidos e o Brasil parecia acordar. Apenas aparência. Os italianos voltaram a dominar e fecharam o set em 25 a 20.

No tie-break, Lipe e Éder continuaram em quadra. E o Brasil voltou a jogar como Brasil. Bloqueio e saque voltaram a funcionar, e o time jogava em sintonia. Após abrir cinco de vantagem, a seleção brasileira caiu de novo. Bernardinho pediu tempo quando a Itália encostou em 8/6. O Brasil reencontrou seu jogo e fechou na parceria entre Bruno e Lucão. Bola de meio, 15 a 11, 3 sets a 2 e Brasil campeão.

Clique para conferir as estatísticas do jogo.

0 comentários :

Postar um comentário