domingo, 10 de novembro de 2013

Ainda não, mas...

Com casa cheia, Cruzeiro vence Grêmio, mas ainda não comemora oficialmente o inevitável título brasileiro

De Belo Horizonte.
Por João Vitor Cirilo.

10/11/2013 - A festa estava montada. Os torcedores do Cruzeiro se mobilizaram para o grande duelo contra o Grêmio, que poderia definir matematicamente o inevitável título azul. Com casa cheia (mais de 58 mil presentes), a Raposa cumpriu seu papel, venceu o Tricolor por 3 a 0, mas ainda não pôde comemorar oficialmente a conquista, já que o Atlético-PR venceu o São Paulo pelo mesmo placar. Mas é impossível a conquista não vir nas próximas rodadas. A torcida já vibra com o terceiro titulo nacional da equipe celeste. Os gols da tarde foram marcados por Borges, no primeiro tempo, e por Willian e Ricardo Goulart, na etapa complementar.

O Cruzeiro chega a 71 pontos, contra 58 do Atlético-PR e 54 do Grêmio. Para confirmar oficialmente o título, o Cruzeiro, que com a vitória de hoje, bateu todos os adversários do nacional, visita o Vitória às 21h50 da quarta-feira (13). No mesmo dia, o Grêmio pega o Vasco às 19h30.

Borges comemora o primeiro gol do jogo.
(Foto: Gualter Naves/Textual)

Quando a bola rolou...

O Cruzeiro veio completo para campo, mantendo o time da última rodada, com Dagoberto entre os titulares e Willian permanecendo no banco. Já o Grêmio retornou com o esquema de três zagueiros e com Zé Roberto entre os reservas. A intenção gaúcha era clara: jogar por uma bola e não deixar o time da casa fazer o seu jogo.

Como esperado, o Cruzeiro pressionou desde o primeiro instante. Tinha o domínio da partida e da posse de bola. Aos cinco minutos, Lucas Silva tentou em cobrança de falta de longa distância, e a bola passou perto. Depois disso, o Grêmio tentou sair um pouco, mas sem levar perigo. A tendência era mesmo ver a Raposa jogar e se defender com todas as suas forças. Aos dez minutos, Egídio finalizou, fraco, e a bola foi para fora. Três minutos depois, foi a vez de Dagoberto cortar para o meio, bater para o gol e não ver a bola entrar porque desviou em Souza.

A Raposa seguiu pressionando, chegando com muita intensidade, mas faltava o toque final. Quando o Tricolor tentou sair para o jogo, acabou pagando. Em contragolpe, a zaga gremista cortou mal de cabeça e Borges, de voleio meio que com a canela, marcou um golaço. 1 a 0, aos 34 minutos.

Aos 40, o Grêmio foi pra cima, mas encontrou uma muralha chamada Fábio. O goleiro celeste fez duas grandes defesas em chutes de Souza e Werley, mantendo a igualdade em um movimentado primeiro tempo. Éverton Ribeiro ainda reclamou de pênalti não marcado pelo árbitro Wilson Luiz Seneme, mas o lance foi normal.

Apesar de ainda não ser campeão oficialmente, a festa já é da torcida mineira.
(Foto: Washington Alves/VIPCOMM)

O segundo tempo começou um pouco morno, mas logo a partida voltou ao ritmo da etapa inicial. O primeiro lance de perigo foi do Grêmio, em chute de Kléber, no canto; Fábio defendeu, aos sete minutos. Vendo o Grêmio crescer e encontrar espaço, Marcelo Oliveira promoveu a primeira mudança no Cruzeiro aos 15 minutos. Júlio Baptista entrou na vaga de Borges, uma substituição comumente feita na equipe azul.

O Cruzeiro perdeu a intensidade, e o Grêmio assustou. Em contragolpe puxado por Pará, aos 27 minutos, Barcos cortou para o meio e chutou forte, acertando a trave. Aos 29, Fábio operou mais um milagre, em outra finalização de Barcos. A Raposa só voltou a chegar aos 31, em chute de Egídio. Logo depois, veio o gol da vitória. Após cruzamento na área, Willian pegou de canhota, a bola desviou na defesa e entrou. 2 a 0, aos 33 minutos. Ainda houve tempo para mais um. Após cruzamento vindo da direita, Ricardo Goulart pegou de primeira no segundo pau e marcou o terceiro, fechando o marcador aos 40 minutos.

Ficha do jogo:

Cruzeiro 3x0 Grêmio

CRUZEIRO:
Fábio; Ceará, Dedé, Léo e Egídio; Nilton e Lucas Silva; Éverton Ribeiro (Luan), Dagoberto (Willian) e Ricardo Goulart; Borges (Júlio Baptista).
Técnico: Marcelo Oliveira

GRÊMIO:
Dida; Bressan, Rhodolfo e Werley; Pará, Souza, Ramiro, Riveros (Maxi Rodríguez) e Alex Telles; Kléber (Yuri Mamute) e Barcos.
Técnico: Renato Gaúcho

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Público: 56864 pagantes - 58113 presentes
Renda: R$ 5.231.711
Data: 10/11/2013
Horário: 17h

Gols: Borges, aos 34 minutos do primeiro tempo; Willian, aos 33, e Ricardo Goulart, aos 40 minutos do segundo tempo

Árbitro: Wilson Luiz Seneme (SP)
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Carlos Berkenbrock (SC)

Cartões amarelos: Ceará, Éverton Ribeiro e Léo (CRU); Ramiro, Kléber, Alex Telles (GRÊ)

***

33ª rodada: 
Sábado (9), às 19h30: 
21h: 
Domingo (10), às 17h: 
Ponte Preta 0x3 Vitória 
19h30: 
Náutico 0x1 Criciúma 

Classificação (todos com 33 jogos):
1º - Cruzeiro - 71 pontos
2º - Atlético-PR - 58 pontos
3º - Grêmio - 54 pontos
4º - Botafogo - 53 pontos e 15 vitórias
5º - Goiás - 53 pontos e 14 vitórias 
6º - Vitória - 51 pontos
7º - Atlético-MG - 49 pontos 
8º - São Paulo - 46 pontos 
9º - Santos - 45 pontos, 11 vitórias e 7 gols de saldo
10º - Internacional - 45 pontos, 11 vitórias e 2 gols de saldo
11º - Flamengo - 45 pontos, 11 vitórias e 1 gol de saldo
12º - Corinthians - 45 pontos e 10 vitórias
13º - Coritiba - 41 pontos 
14º - Portuguesa - 40 pontos 
15º - Bahia - 39 pontos 
16º - Vasco - 37 pontos
17º - Criciúma - 36 pontos e 10 vitórias
18º - Fluminense - 36 pontos e 9 vitórias
19º - Ponte Preta - 34 pontos 
20º - Náutico - 17 pontos 

0 comentários :

Postar um comentário