segunda-feira, 11 de novembro de 2013

A bola pelo mundo #3

Em rodada de queda de alguns líderes na Europa, três campeões foram conhecidos em campeonatos ao redor do planeta

De Aracaju.
Por Henrique Ferrera.

11/11/2013 - Mais um fim de semana se passou e os principais campeonatos europeus vão ficando próximos de concluir um terço dos seus jogos. E alguns líderes já começam a perceber que não terão vida fácil para se manter no topo até o final, como Arsenal e Roma, que perderam para rivais diretos na rodada que teve também dois campeões continentais e um que vale pela nostalgia.


Premier League

José Mourinho estava vendo sua invencibilidade de 60 jogos em casa pela Premier League ruir contra o bom time do West Bromwich, no sábado. Mesmo com Eto'o marcando mais uma vez, o West Brom surpreendeu o Chelsea e chegou à virada no segundo tempo, com Long e Sessègnon. Mas foi aí que surgiu a figura do árbitro Andre Mariner, que marcou um pênalti absurdo sobre Ramires, bem cobrado por Hazard, e que decretou o empate em 2 a 2.

O Tottenham não vive lá uma fase muito boa em termos ofensivos, mas não se pode dizer que foi por falta de tentativas que os Spurs perderam em casa para o Newcastle, por 1 a 0. O gol de Rémy aos 12 minutos desencadeou dezenas de tentativas por parte dos jogadores do Tottenham. O que eles não contavam é com uma das melhores atuações de um goleiro na história da Premier League: Tim Krul parou os 14 chutes que foram à sua meta, sendo pelo menos oito dessas defesas com alto grau de dificuldade. Graças ao arqueiro holandês, o Newcastle vai se aproximando da parte de cima da tabela.

David Moyes vai se encontrando aos poucos em Old Trafford. No clássico contra o líder Arsenal, Moyes foi capaz de anular a tríade Özil-Ramsey-Cazorla e sair com a vitória simples. Mesmo perdendo na posse de bola, o Manchester foi capaz de impedir que os armadores adversários criassem jogadas de perigo. E lá na frente, como sempre, van Persie resolveu. Desviou escanteio com a cabeça e saiu para comemorar.

Classificação após [11] rodadas:
1º Arsenal (25)
2º Liverpool (23)
3º Southampton (22)
4º Chelsea (21)
5º Manchester United (20), saldo de +5
Artilheiro: Sergio Agüero (Man City), Daniel Sturridge (Liverpool) e Luis Suárez (Liverpool), com 8 gols.

Bundesliga

O Bayern de Munique continua a estabelecer novas marcas na Alemanha. O novo recorde veio sem dificuldade, na vitória em casa sobre o Augsburg, por tranquilos 3 a 0, gols de Boateng usando a cabeça, Ribéry batendo falta e Müller cobrando pênalti. Com o resultado, os bávaros chegaram a 37 jogos sem perder no campeonato. Sua última derrota aconteceu a 13 meses atrás, quando perdeu para o Leverkusen.

Classificação após [12] rodadas:
1º Bayern de Munique (32)
2º Borussia Dortmund (28), saldo +21
3º Bayer Leverkusen (28), saldo +15
4º Borussia Mönchengladbach (22)
5º VfB Wolfsburg (21)
Artilheiro: Robert Lewandowski (Dortmund), com 9 gols

Serie A TIM

Nos últimos anos se tornou difícil confiar na Roma graças ao histórico recente de vacilos. Depois das dez vitórias nas dez primeiras rodadas, parecia que era a hora dos romanistas celebrarem o time. Mas depois de empatar com o Torino fora, a torcida viu mais um vexame. Um empate cruel com o fraco Sassuolo dentro do estádio olímpico. A vitória já vinha a duras penas, já que o gol solitário da Roma foi contra, de Longhi. Mas aos 49 do segundo tempo, a indecisão tomou conta da defesa giallorossi, e Berardi não perdoou, cravando o 1 a 1 em números finais.

E no melhor jogo do fim de semana, a Juventus provou que tem time pra ser melhor do que está sendo. No dérbi dos vice-líderes, passou o trator sobre o Napoli em Turim: 3 a 0. A defesa foi perfeita ao anular grande parte dos ataques napolitanos, o meio-campo foi forte como de costume e o ataque agora comandado por Llorente fez sua parte. Pogba, que vem se tornando peça fundamental como médio-centro, fez um golaço, além de Pirlo, que bateu falta com maestria. Llorente fez o outro.

Classificação após [12] rodadas:
1º AS Roma (32)
2º Juventus (31)
3º Napoli (28)
4º Internazionale (25)
5º Fiorentina (24)
Artilheiro: Giuseppe Rossi (Fiorentina), com 11 gols

Primera División

O Barcelona venceu o Betis por 4 a 1 em Sevilla, mas não saiu de campo muito feliz. Isto graças à nova lesão sentida por Lionel Messi, na coxa esquerda, a terceira em pouco menos da metade da temporada. Apesar da lesão, Neymar e Fàbregas comandaram a goleada culé, com o espanhol marcando duas vezes (mas se lesionando também). Messi não jogará mais este ano, e o Barça espera que a equipe mantenha o nível de atuação para que o Real Madrid, que bateu a Real Sociedad por 5 a 1 com 3 gols de Cristiano Ronaldo, não se aproxime e a ameace.

Classificação após [13] rodadas:
1º Barcelona (37)
2º Atletico de Madrid (34)
3º Real Madrid (31)
4º Villareal (24)
5º Athletic Bilbao (23)
Artilheiro: Cristiano Ronaldo (Real Madrid), com 16 gols

Ligue 1

O PSG viu o Monaco tropeçar na sexta, e o Lille empatar no sábado e vislumbrou a oportunidade de abrir vantagem no topo da tabela. E quando se tem Ibrahimovic, que vive grande fase, tudo fica mais fácil. O sueco marcou os três gols da vitória parisiense sobre o Nice, por 3 a 1, no Parc des Princes. O sueco mostrou faro de gol ao aproveitar três saídas erradas do goleiro adversário: duas viraram gol - uma de cabeça e outra com o pé -, e outra virou pênalti em Cavani, cobrado por Ibra.

O clássico entre Saint-Etienne e Lyon foi o que movimentou mesmo a rodada francesa, mas não por causa do futebol. Uma provocação do treinador de goleiros do Lyon incendiu a torcida que estava no Geoffrey Guichard. Centenas de objetos foram atirados em campo, e alguns tentaram invadir para arrancar um cachecol do OL que foi amarrado na rede do gol. Em campo, o Lyon deu um tempo na péssima fase e conseguiu vencer o dérbi por 2 a 1, com um gol de Briand no último minuto.

Classificação após [13] rodadas:
1º Paris Saint-Germain (31)
2º Lille OSC (27)
3º AS Monaco (26)
4º FC Nantes (23)
5º Olympique Marseille (21)
Artilheiro: Radamel Falcao García (Monaco) e Edinson Cavani (PSG), com 9 gols

Outros destaques

Três anos após ser rebaixado, o Guangzhou Evergrande coroou a reestruturação guiada pelo dinheiro de um grupo imobiliário e chegou ao ápice do sucesso: foi campeão da Liga dos Campeões da Ásia pela primeira vez. Com jogadores conhecidos dos brasileiros no elenco - Muriqui, Conca e Elkeson -, a equipe do técnico Marcelo Lippi empatou os dois jogos contra o Seoul, e levou a melhor no saldo de gols. Após empatar por 2 a 2 fora, Elkeson abriu o placar em casa, e nem o gol de Damjanovic estragou a festa.

Se na Ásia houve um título inédito, na África a coisa é diferente. O Al Ahly se sagrou octacampeão africano ao bater o Orlando Pirates por 2 a 0. Liderados por Aboutrika, os egípcios fizeram do incidente em Port Said, onde 72 torcedores morreram em 2012, mais um motivo para superação e com um elenco entrosado, formado a várias temporadas, vão mantendo sua hegemonia no continente.

E houve outro campeão, desta vez de um torneio menos importante: o New York Cosmos, antes time de Pelé e Carlos Alberto Torres. O épico time americano, que voltou às atividades nesta temporada, se filiou à NASL (bem menor que a MLS em importância) e venceu a final da Liga, batendo por 1 a 0 o Atlanta Silverbacks, na Geórgia, com um gol do hispano-brasileiro Marcos Senna, o craque do novo Cosmos.

0 comentários :

Postar um comentário