sábado, 28 de setembro de 2013

Especial Playoffs MLB - Pirates vs. Braves, 1992

Na final da Liga Nacional de 1992, o Atlanta Braves conseguiu uma virada improvável na última entrada sobre o Pittsburgh Pirates

De Aracaju.
Por Henrique Ferrera.

28/09/2013 - Com a aproximação dos playoffs da Major League Baseball, o Boleiros da Arquibancada irá listar os cinco melhores jogos da história da liga. O quinto lugar, que foi ao ar na última semana, ficou com o jogo 6 da final da Liga Nacional de 1986, quando o New York Mets venceu o Houston Astros, na casa do adversário, por 7 a 6 em 16 entradas e carimbou o passaporte para World Series. Passemos agora ao quarto lugar, que é do jogo 7 da final da Liga Nacional de 1992, na virada incrível conquistada na última entrada sobre o Pittsburgh Pirates e que carimbou o passaporte do Atlanta Braves para a World Series.

Lavalliere não evita o slide da vitória de Bream. 
(Foto: Sports Illustrated)

Os Braves estavam tentando voltar para a World Series no ano seguinte à sua dramática derrota para o Minnesota Twins em sete jogos. Atlanta manteve grande parte da formação que foi campeã da Liga Nacional em 1991, mas estavam empatados no último lugar da divisão junto com o Giants no fim de maio. Porém, Atlanta fez 19-6 em junho e 16-9 em julho, e se distanciou na ponta da divisão Oeste vencendo 15 de seus 18 jogos em agosto.

Os Pirates estavam na final da Liga Nacional pelo terceiro ano consecutivo, depois de perder para os eventuais finalistas da World Series, Cincinnati Reds em 1990 e o mesmo Atlanta Braves em 1991. Os Pirates haviam perdido o right-fielder Bobby Bonilla, e repuseram com o veloz Alex Cole. O ótimo pitcher John Smiley foi negociado com o Minnesota Twins. Apesar das saídas de Smiley e Bonilla, Pittsburgh liderava a divisão com sete jogos de vantagem no final de junho, mas sofreu durante o mês de julho (campanha 11-15) que permitiu que o Montreal Expos igualassem-no na liderança no fim do mês. Em agosto, onze vitórias seguidas foram suficientes para se livrar do Expos e vencer a divisão Leste, sendo o primeiro tricampeão da divisão desde os Phillies de 76/78.

A pressão para o título dos Pirates era gigante em 1992. Problemas financeiros já haviam sido a motivação para a saída de Smiley e Bonilla, e a saída de futuros free-agents como o left-fielder Barry Bonds e o pitcher titular Doug Drabek eram iminentes. 1992 parecia ser a última chance para Pittsburgh triunfar com este elenco.

Na série, Atlanta venceu os dois primeiros jogos em casa. Nos três de Pittsburgh, Atlanta venceu o segundo e ficou a um triunfo da World Series. Mas no jogo 6, foi surpreendido em casa e perdeu, levando tudo para o derradeiro jogo 7.

O jogo

Alex Cole abriu o topo da primeira entrada com um walk, e marcou com um fly de sacrifício. No montinho de Pittsburgh, Doug Drabek arremessou com maestria nas primeiras oito entradas, deixando os Braves zerados. A única ameaça real veio na sexta entrada, quando os Braves lotaram as bases sem nenhum eliminado. No entanto, uma rebatida de Jeff Blauser resultou em dupla eliminação e com um flyout, Terry Pendleton encerrou a entrada. Enquanto isso, Pittsburgh também não conseguiu muito em cima do titular de Atlanta, John Smoltz, mas conseguiu uma corrida na primeira entrada no fly de sacrifício de Orlando Merced, e outra na sexta com rebatida simples de Andy van Slyke.


Confira o slide da vitória do Atlanta Braves

Um acontecimento importante foi a substituição do árbitro do homeplate John McSherry, que com dores no peito foi substituído pelo árbitro da primeira base Randy Marsh. A zona de strike de Marsh parecia menor, particularmente na nona entrada onde Stan Belinda arremessou contra Atlanta e cedeu walk para Damon Berryhill.

Na quinta, José Lind dos Pirates conseguiu rebatida dupla com um eliminado, mas foi o único. Pittsburgh chegou à sua segunda corrida na sexta entrada, quando Jay Bell abriu com uma rebatida dupla e Andy van Slyke com uma simples o mandou para o homeplate. Na parte de baixo da mesma entrada, os Braves perderam uma oportunidade de ouro. Mark Lemke abriu com uma rebatida simples, depois Jeff Treadway, o pinch-hitter, que foi seguido por outra rebatida simples. O bunt de Otis Nixon lotou as bases sem nenhum eliminado. Entretanto, Jeff Blauser rebateu nas mãos do terceira-base Jeff King que eliminou Lemke na segunda. Terry Pendleton foi eliminado em seguida e a ameaça foi contida, mantendo-se o 2 a 0.

Os dois times perderam chances de marcar na sétima entrada. No topo da entrada, o Pirates abriu com uma rebatida simples de Mike LaValliere, seguida por um walk intencional e um não-intencional, trazendo van Slyke para o bastão com bases lotadas e dois eliminados. Steve Avery entrou como relief e eliminou van Slyke. Na parte de baixo da sétima, Sid Bream conseguiu rebatida dupla para Atlanta, com um eliminado, e Ron Gant ganhou walk, mas Berryhill e Lonnie Field foram eliminados com flyouts e a entrada acabou. Nenhum time marcou na oitava e os Pirates só chegaram à segunda base com Lloyd McClendon no topo da nona. Atlanta veio ao bastão na parte de baixo da nona entrada à três eliminações da derrota, e Pittsburgh estava à três eliminações do seu primeiro título de Liga Nacional desde 1979.

O manager dos Pirates, Jim Leyland, manteve Drabek, ao invés de trazer um canhoto para arremessar contra Terry Pendleton e David Justice. Pendleton, com .311 de aproveitamento em 1992, abriu com uma rebatida dupla no canto direito que ficou muito próxima de ser homerun. David Justice rebateu rasteiro em direção à José Lind. Lind, que ganhou o Golden Glove como melhor segunda base da temporada, e que havia cometido apenas seis erros durante 1992, deixou a bola passar. Justice se salvou na primeira base com o erro, e Pendleton chegou à terceira. Drabek então cedeu walk à Sid Bream, em arremessos complicados e lotou as bases. Leyland tirou Drabek do jogo, após 129 arremessos, e mandou o reliever destro Stan Belinda.

O batedor seguinte, Gant, sofreu flyout de Bonds no campo esquerdo. Pendletou conseguiu chegar ao homeplate e fazer 2 a 1, mas Justice não empatou, ficando na segunda base. Damon Berryhill foi o próximo, e em um arremesso que foi strike, o árbitro deu walk de Belinda em Barryhill e as bases ficaram lotadas. O manager do Braves, Bobby Cox, mandou o rebatedor designado Brian Hunter, mas Hunter sofreu popout e foi o segundo eliminado. Jeff Reardon entrou para arremessar, e Cox mandou a campo outro rebatedor designado, Francisco Cabrera.

Cabrera, o penúltimo em número de jogos no banco do Atlanta (Javy Lopez poderia ter entrado), conseguiu rebatida simples para a esquerda e impulsionou Justice e - à frente de Barry Bonds - Bream. Cabrera havia ido apenas dez vezes ao bastão na temporada, e foi se perguntando se teria que substituir Rafael Belliard na segunda base se fossem necessárias entradas extras. Pendleton mandou Cabrera rebater sobre o shortstop, e Barry Bonds foi avisado por Andy van Slyke para se posicionar um pouco mais perto, e recebeu como resposta o dedo do meio.

No duelo entre Cabrera e Belinda, que foi o derradeiro, Belinda ficou próximo de ceder um walk com um slider e uma bola rápida fora da zona de strike. Então Belinda lançou outra bola rápida, rebatida como foulball por Cabrera para as arquibancadas esquerdas. Belinda arremessou bola baixa e rápida novamente, e Cabrera rebateu por sobre o shortstop, como Pendleton instruiu, e na frente de Bonds no campo esquerdo. Justice correu tranquilo para marcar a segunda corrida, e Sid Bream - conhecido como um corredor bem lento -, disparou para o homeplate. A bola rebatida fez com Bonds além de correr atrás dela, tivesse que virar o corpo para tentar a eliminação, forçando Lavalliere a sair do lugar para tentar pegar o arremesso. Bream deslizou e venceu, por pouco. Os Braves venceram por 3 a 2, levando o título.

Em cena que ficou famosa, o elenco dos Braves se lançou sobre Bream, caído no homeplate. O Fulton County Stadium explodiu, e Atlanta voltou para a World Series.

0 comentários :

Postar um comentário